Programa de Serra prevê mudança na grade do ensino médio

Proposta quer diminuir a quantidade de disciplinas obrigatórias e aumentar oferta de optativas e profissionalizantes

Marina Morena Costa, iG São Paulo |

A proposta de reformulação do ensino médio, anunciada nesta sexta-feira pelo candidato à Presidência, José Serra (PSDB) , passa por um enxugamento das disciplinas obrigatórias e um aumento da flexibilidade da grade curricular. Em entrevista ao iG , a professora Maria Helena Guimarães de Castro, uma das responsáveis pela elaboração do programa de governo tucano para a educação, explica que a ideia estudada pela equipe é fazer uma “reestruturação completa do sistema”.

“Nossa proposta mexe com o desenho das disciplinas obrigatórias. Temos o plano de diminuí-las e aumentar as disciplinas eletivas (opcionais)”, afirma Maria Helena, ex-secretária estadual de São Paulo do governo Serra (2007-2009). A reestruturação passaria por uma discussão nacional, com consulta à sociedade civil, entidades de classe e ao Conselho Nacional de Educação (CNE), garante a professora.

De acordo com Maria Helena, a proposta tucana visa combater a falta de interesse dos estudantes do ensino médio e oferecer alternativas complementares, como cursos de informática, línguas e profissional. “Queremos tornar a grade curricular o ensino médio o mais flexível o possível, de forma que atenda às diferentes necessidades e demandas dos estudantes, de acordo com o perfil deles”, afirma.

Enem

Em evento no dia do professor, Serra criticou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e afirmou que a prova precisa ser reformulada. “O Enem tem que ser refeito. A utilização política e propagandista acabou arruinando o Enem. Além disso, acabou virando um problema para os jovens”, afirmou o candidato a cerca de 1.500 docentes da rede pública reunidos no Espaço das Américas, na Barra Funda (Zona Oeste de São Paulo).

Presidente entre 1995 e 2002 do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do MEC responsável pelo Enem, Maria Helena afirma que o programa de governo do candidato tucano prevê a revisão da matriz de referência para o exame, com as habilidades e competência exigidas dos estudantes.

Segundo a professora, o novo Enem passou a adotar matriz do Encceja, mais enxuta que a anterior, e ainda recebeu sugestões de conteúdos de universidades. “Ficou muito pesado. O Enem tem que ser um sinalizador do ensino médio. Na nossa avaliação, precisa ser aprimorado.”

As críticas de Serra foram rebatidas pelo Ministério da Educação (MEC) em uma nota de "repúdio" às declarações. Para o Ministério, o candidato trata o tema de forma "leviana".

* Colaborou Piero Locatelli, iG São Paulo

    Leia tudo sobre: Enemensino médio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG