Profissão: piloto de Fórmula 1

Viajar o mundo pilotando os carros mais velozes e ainda receber um bom salário por isso. Esta é a visão que a maioria das pessoas têm da profissão de piloto de Fórmula 1, mas poucos sabem sobre o trabalho de muitos anos para construir uma carreira de sucesso que, infelizmente, é para poucos!

Milena Prado Neves |

Carros potentes, gente famosa, viagens, chuva de champanhe e cheque com valor alto na conta corrente. Num primeiro momento, este pode ser o resumo da vida de um piloto de Fórmula 1, e pode ser por esta vida que muitos se sentem atraídos. Pelas equipes que cruzam o mundo levando a todos os ouvidos o doce ronco das máquinas que deslizam pelas pistas. Mas esta é apenas uma parte desta vida: a que o povo vê.

Por trás desta imagem estereotipada há um trabalho árduo realizado por muitos anos, para construir um piloto profissional, capaz de enfrentar seus medos, encarar os desafios e superar-se a cada dia mais. Antes de chegar lá, eles passaram por situações que comprovaram sua vocação por esta carreira, onde é necessário muito amor à velocidade e determinação para chegar onde quer!

Uma longa pista percorrida

A carreira na Fórmula 1 começa a ser estruturada desde muito cedo, entre os seis e oito anos, ainda na categoria Kart. Tudo começa como uma brincadeira, até que a criança demonstre habilidade com o volante e participe de competições regionais.

De torneio em torneio, o hobby vai se mostrando vocação e os melhores vão passando para as categorias seguintes e conquistando mais visibilidade na área. Nestas fases iniciais, a família precisa investir no sonho da criança/adolescente, pois os custos com equipamentos e treinamentos no kart não são tão baratos.

Conforme se destacam, passam pela Fórmula 3, Fórmula Renault, e outras, até chegarem ao GP2, o estágio que antecede o Olimpo do automobilismo: a Fórmula 1. Poucos brasileiros chegaram lá e marcaram seu nome no esporte, como: José Carlos Pacce, Nelson Piquet, Emerson Fittipaldi, Ayrton Senna, Rubens Barrichello e Felipe Massa.

Tornando-se um piloto

Ao longo do percurso até o pódio da Fórmula 1, um piloto coleciona vitórias, derrotas, sins e nãos. Treinam intensivamente para preparar seus corpos para o esforço excessivo que terão nesta longa jornada da velocidade, em que precisam suportar os efeitos da força gravitacional sob seu corpo.

Vanderlei Pereira, preparador físico de Felipe Massa e Lucas Di Grassi, salienta a importância de um treinamento efetivo. Iniciamos uma atuação especifica na preparação do organismo aos 14 anos, com o desenvolvimento cardiovascular realizado através de exercícios aeróbicos, que dão mais resistência física em provas de longa duração. Com o passar dos anos, intensificamos o trabalho muscular para que o piloto possa ter mais estabilidade nas curvas. Tudo isso para prover mais concentração e alta performance no momento na corrida.

Além da preparação física, o piloto passa por uma preparação mental, para saber lidar com todas as pressões a que é submetido. Quando você compete, seu primeiro adversário é você mesmo, por isso você deve extrair o melhor de si e de suas oportunidades, identificando suas fraquezas para poder melhorá-las, buscando a evolução a todo momento, diz Vanderlei.

Ficha técnica de um piloto
Idade:
Somente aos 18 anos é possível se tornar piloto de Fórmula 1. Costumam aposentar-se por volta dos 40 anos, quando o corpo já demonstra sinais de cansaço diante de tamanha pressão. Dedicam-se então a trabalhos em novas equipes, atuação como comentarista esportivo, dentre outras atividades ligadas a modalidade.
Exigências: Ter passado pelas categorias de base do esporte e possuir a superlicença - espécie de carteira de motorista que permite pilotar na Fórmula 1.
Línguas: Inglês fluente é o mínimo esperado, já que a maioria dos pilotos são poliglotas, para poder trabalhar com equipes multiculturais que viajam o mundo na disputa de cada temporada.
Salário: Chega a 25 milhões de euros ao ano.
Curiosidades: Homens e mulheres podem participar deste esporte. Apesar de ser predominantemente praticado por homens, algumas poucas mulheres já disputaram corrida na categoria.


Leia mais sobre: Fórmula 1

    Leia tudo sobre: fórmula 1piloto de fórmula 1profissão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG