Professores esperam maior aprovação na 2ª fase da OAB

Com nível alto de reprovação na primeira fase e prova bem elaborada, exame deve ter mais aprovados do que a última edição

Marina Morena Costa, iG São Paulo |

Marina Morena Costa
Após a prova, candidatos comentam a segunda fase do Exame da OAB
Tanto candidatos quanto professores de Direito especializados no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) avaliam que as provas da segunda fase foram bem elaboradas, didáticas e claras. O alto nível de reprovação na primeira fase somado a uma avaliação bem feita devem ter como resultado uma porcentagem maior de aprovados no processo seletivo, obrigatório para a obtenção do registro que permite o exercício da advocacia.

Dos 121.309 que se inscreveram para o Exame de Ordem, 21.840 foram convocados para a segunda fase, 18% apenas . “Candidatos muito bons fizeram a segunda fase. Por isso, a expectativa é que o índice de aprovação seja bastante expressivo”, comenta o professor Nestor Tavara, coordenador do curso preparatório para o exame da OAB da rede LFG.

Para Alexandre Mazza, advogado e professor, a prova da primeira fase foi a mais difícil da história do exame da OAB. Já a última etapa merece elogios: “Considero a segunda fase uma prova perfeita. Bem elaborada, com conteúdo claro. As peças foram relevantes, com discussões importantes”.

Na saída das provas da segunda fase, realizadas no último domingo, estudantes também elogiaram a avaliação . Para João Roberto, 22 anos, aluno do último ano de Direito da PUC-SP, a prova estava “fácil e didática”. Os candidatos responderam quatro questões dissertativas e escreveram uma peça jurídica sobre a área do Direito que escolheram: administrativo, civil, constitucional, do trabalho, empresarial, penal ou tributário.

Acesse as provas:

- Direito Administrativo
- Direito Civil
- Direito Constituicional
- Direito Empresarial
- Direito Penal
- Direito do Trabalho
- Direito Tributário

Recorde de reprovação

Ao final da edição anterior, menos de 10% foram aprovados , o menor índice registrado na história do exame. Os professores apostam que este resultado não deve se repetir. “Observando o histórico do Exame de Ordem, vemos que quando a aprovação na primeira fase é muito grande, a correção da segunda tende a ser muito rigorosa, e vice-versa, de forma que o número de aprovados sempre seja mais ou menos o mesmo”, destaca Mazza, que prepara candidatos para o exame há 15 anos. Críticos do exame compartilham dessa análise e acreditam que a OAB tem dificultado as provas para manter uma reserva de mercado .

Para o professor, a correção da segunda fase é a fase mais subjetiva e obscura do Exame de Ordem. “A crítica número 1 é a falta de critério claro na atribuição de notas na segunda fase. Há casos de injustiça”, aponta. “A OAB tem que ser transparente, tem que se comportar como o grande concurso que é.”


Veja o calendário com as próximas datas do Exame de Ordem :

1/9 - Divulgação do padrão de resposta da prova prático-profissional
13/9 - Divulgação do resultado preliminar da prova prático-profissional
13 a 15/9 - Prazo recursal acerca do resultado preliminar da 2ª fase
4/10 - Decisão dos recursos acerca do resultado preliminar e divulgação do resultado final

    Leia tudo sobre: OABExame de ordem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG