Com manifestação, categoria conseguiu agendar reunião com o governador Cid Gomes (PSB) para quinta-feira

Cerca de 500 pessoas realizaram na manhã desta quarta-feira (21) uma manifestação na Assembléia Legislativa do Ceará em favor dos professores da rede estadual, em greve há 47 dias. Eles levaram cartazes, apitos e até uma banda marcial escolar e conseguiram que os deputados da base de apoio intermediassem uma reunião de negociação com o governador Cid Gomes (PSB).

Daniel Aderaldo
Cartazes em manifestação revidam declaração polêmica do governador Cid Gomes
Professores, alunos da rede pública e integrantes do movimento apartidário Crítica Radical começaram a ocupar os corredores da Assembléia às 11 horas para chamar a atenção dos parlamentares. Eles se concentraram em frente à entrada do plenário do Legislativo e entoaram durante uma hora palavras de ordem como “Cid ditador, respeito o professor” mostrando cartazes satirizando a declaração dada por Cid Gomes de que professores deveriam trabalhar por amor e não por dinheiro .

Por volta do meio-dia o presidente da Assembléia, deputado Roberto Cláudio (PSB), recebeu uma comitiva de professores com a pauta de reivindicações e intermediou uma reunião de negociação com o governador, agendada para as 9 horas desta quinta-feira (22). Às 13h o ato já havia terminado. Há mais de duas semanas os professores não são recebidos pelo governo.

Esta é a segunda vez que os professores protestam contra Cid Gomes na Assembleia Legislativa somente neste mês. No dia 1º de setembro, mais de 1,5 mil alunos e professores invadiram a sede do parlamento cearense e houve confronto com a polícia e atos de vandalismo.

Desta vez, a manifestação foi pacífica e marcada pelo bom humor. Nos cartazes, os manifestantes pediam para que Cid doasse seu salário e trabalhasse por amor. Outro cartaz dizia que quem vive de amor é dono de motel. Havia um ainda que imitava um cartão de crédito – o “lovecard”. Os manifestantes também realizaram um cortejo fúnebre simbolizando a morte da educação no Ceará.

Veja imagens da manifestação:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.