Paralisação chega ao 83º dia. Categoria reivindica reajuste de 23,98%, mais verba e melhorias na infraestrutura da instituição

Docentes e estudantes da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) realizam uma manifestação no Twitter nesta segunda-feira, data em que a greve dos professores completa 83 dias. O protesto colocou a hashtag (palavra-chave) #emdefesadaUERN entre os assuntos mais comentados no Brasil pela rede social.

Os professores reivindicam reajuste salarial de 23,98%, descontingenciamento dos recursos orçamentários da universidade, mais verba e melhorias na infraestrutura da instituição.

De acordo com o professor Flaubert Torquato, presidente da Associação dos Docentes da UERN (ADUERN), os recursos da universidade foram cortados em 30% no começo do ano. Bolsas de estudo para alunos pesquisadores não são pagas há mais de três meses, há obras inacabadas e apenas um ônibus para atender os seis câmpus da instituição. Para fazer trabalho de campo, alunos têm que arrecadar dinheiro para as despesas com combustível e diária de motorista. “Temos quase 14 mil alunos e apenas um ônibus, com mais de 2 milhões de quilômetros rodados”, afirma Torquato.

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Educação do Rio Grande do Norte não se pronunciou sobre a greve.

Veja a repercussão da greve no Twitter:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.