Professores, alunos e servidores da UnB escolhem novo reitor

BRASÍLIA - A Universidade de Brasília (UnB) vai às urnas nesta quarta e quinta-feira. Vinte e oito mil pessoas, entre professores, estudantes e servidores, têm a missão de escolher o próximo reitor da universidade.

Redação com Agência Brasil |

Acordo Ortográfico

A UnB enfrenta grave crise desde o início do ano. Denúncias de utilização indevida de recursos públicos levaram o ex-reitor Timoty Mulholland a renunciar em abril, após a ocupação do prédio da reitoria por estudantes.

Os dois candidatos que disputam o segundo turno das eleições, José Geraldo de Sousa Júnior e Márcio Martins Pimentel, fizeram, na noite de terça-feira, o último debate. Em um auditório com cerca de 500 pessoas, eles apresentaram propostas e trocaram críticas por quase três horas.

José Geraldo, professor da Faculdade de Direito, defendeu um novo modelo de gestão da universidade. Ele propõe o orçamento participativo e promete colocar na internet, por meio do Portal da Transparência, do governo federal, relatórios sobre os gastos das fundações.

"Queremos resgatar a universidade para seus objetivos sociais, por meio de uma gestão compartilhada, eticamente referenciada, inscrita no compromisso com os direitos humanos e a responsabilidade social", afirmou Geraldo.

Já Márcio Martins Pimentel, professor do Departamento de Geologia, defendeu a ampliação da autonomia da universidade, com re-estruturação administrativa e criação de uma unidade de apoio aos pesquisadores para facilitar a captação de recursos.

"A UnB da excelência, é essa que a gente quer, do bom ensino, da boa pesquisa, do diálogo. Precisamos também ampliar o acesso à universidade, que ainda oferece poucas vagas em comparação com as faculdades privadas", resumiu Pimentel.

O coordenador-geral do Diretório Central de Estudantes (DCE) da UnB, Fábio Félix, lembrou que o intenso processo de discussões dos últimos meses amplia as responsabilidades do próximo reitor. Os estudantes questionam a atuação das fundações universitárias.

"Nós queremos encarar esse debate. Queremos o descredenciamento dessas fundações. Elas estão sendo investigadas em todo o Brasil, em todas as universidades, e o que se verifica são muitas irregularidades", disse Félix.

A votação ocorrerá em 20 zonas eleitorais espalhadas nos quatro campi da UnB no Distrito Federal, localizadas na Ceilândia, Gama, Planaltina e Plano Piloto. De acordo com o Comissão Organizadora da Consulta (COC), o resultado será divulgado por volta das 2h da madrugada de sexta-feira.

Leia mais sobre: UnB

    Leia tudo sobre: unb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG