Professora do ES ganha prêmio Microsoft de Educador Inovador

Projeto sobre computação nas nuvens leva categoria especial. Outros quatro ganhadores vão para etapa latina, no Panamá

Marina Morena Costa, iG São Paulo |

Uma formatação nos computadores da escola estadual Professor Francisco Coelho Ávila Jr., em Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo, foi o motivo da criação do projeto “Escola nas Nuvens”, vencedor do prêmio Educador Inovador Microsoft 2010, realizado na noite da última quarta-feira.

“Os alunos perderam todos os arquivos e trabalhos salvos nos computadores do laboratório de informática. Com isso surgiu a ideia de usar as ferramentas disponíveis e publicar nosso conteúdo na internet, trabalhando o conceito de computação nas nuvens”, conta a professora Adriana Silva de Oliveira, ganhadora do prêmio junto com Diogo Souza Machado, técnico de informática da escola.

A partir do problema real, estudantes do 7º ano do ensino fundamental ao 3º do ensino médio da escola passaram a usar a web para salvar trabalhos e redes sociais para divulgar projetos e socializar o conhecimento com a comunidade. “Assim eles ganham a independência de discos físicos – como CDs, HDs e pen drives – e podem acessar o material em qualquer lugar”, conta Adriana.“Trabalhamos com os conceitos de conteúdos públicos e privados, como usar a internet de forma segura, e os alunos ficaram responsáveis por gerenciar a publicação nas mídias sociais.”

Com investimentos do governo estadual, a escola passa por uma reforma para melhorar as condições da sala de aula, que, segundo Adriana, eram muito quentes e abafadas. “A única coisa que está de pé é o nosso laboratório de informática”, brinca a professora.

Emocionada, Adriana lembrou as dificuldades que teve para ter acesso ao ensino superior. “Nasci numa favela de Niteroi. Se não fosse meus pais, eu não teria condições de estar aqui. Isso é muito emocionante para mim”, declarou.

Inovadores

O Prêmio Microsoft Educadores Inovadores recebeu 1.056 inscrições e teve 12 projetos finalistas, divididos em quatro categorias (Inovação em Colaboração, Conteúdo, Comunidade e Escolas Técnicas) e o prêmio especial de Educador Inovador. Os vencedores foram respectivamente “Água, Terra, Fogo e Ar – Ecologia através dos filmes de animação”, do Rio de Janeiro (RJ), “Romantismo no século XXI”, de São João del Rei (MG), Campo Sustentável (ES) e Projeto Integratec, de Vila Pavão (ES).

O professor Valdir Pereira Alves Jr., da Escola de Educação Básica e Profissional Dona Sinhá Neves, da Fundação Bradesco, conta que o projeto “Romantismo no século XXI”, que transporta características do romantismo para a realizada atual, mudou não só os alunos, como os moradores do bairro. “Nós revitalizamos praças públicas colocando placas com poesias e criamos um blog no qual estudantes e comunidade podem publicar textos que tenham um olhar romântico”, conta. Após a criação da praça-poética, o próximo passo é realizar uma caminhada poética em São João Del Rei.

“Os alunos se apossaram do patrimônio público, gostaram do trabalho de revitalização, que envolveu conceitos de ecologia, preservação, reciclagem de lixo. Vejo que eles estão mais sensíveis para questões que antes não eram uma preocupação para eles”, avalia Valdir. Para o professor, antes os alunos não viam um atrativo na literatura: “Agora todo mundo quer estudar o romantismo”.

Os cinco vencedores irão participar da etapa latina do prêmio Microsoft, que será realizada no Panamá entre os dias 26 e 27 de agosto. As escolas dos projetos vencedores foram premiadas com uma impressora multi-funcional e os professores responsáveis ganharam laptops.

    Leia tudo sobre: Educaçãoinovaçãoprêmio microsoft

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG