Presidência assume negociação de impasse entre funcionários da UnB e Planejamento

Em reunião realizada nesta terça-feira com o comando de greve da Universidade de Brasília (UnB), o chefe de gabinete do presidente da República, Swerdenberger Barbosa, afirmou que o presidente irá convocar uma reunião entre funcionários e docentes da universidade, representantes do Ministério do Planejamento e da Advocacia Geral da União, ainda nesta semana.

iG São Paulo |

Barbosa criticou a demora na solução do impasse sobre a Unidade de Referência de Preços (URP) e assumiu as negociações entre funcionários da UnB e o Ministério do Planejamento. Os funcionários e docentes da instituição estão em greve porque o ministério tenta suspender a gratificação para parte do quadro da universidade.

O presidente Lula já se manifestou politicamente sobre a manutenção do pagamento integral para todos os servidores, sem distinção, até o julgamento do mérito na Justiça. Não cabe a exclusão dos servidores técnicos, pois a natureza da causa é a mesma, afirmou o reitor da UnB, José Geraldo de Sousa Junior.

Os representantes da universidade foram recebidos no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) ¿ sede provisória do Palácio da Alvorada ¿ após uma carreata pacífica que levou cerca de 100 pessoas ao lugar. O grupo saiu da UnB às 11h desta terça-feira.

Planejamento

Outra reunião foi realizada nesta terça-feira, entre o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, e representantes do movimento grevista. Bernardo reafirmou que o pagamento da URP integral aos funcionários técnico-administrativos da UnB só será feito se a AGU expedir um novo parecer.

Não avançamos em nada. Desta vez, o ministro ainda falou que irá esperar o julgamento do TRF (Tribunal Regional Federal), afirmou o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Fundação UnB (Sintfub), Cosmo Balbino. O julgamento está previsto para o próximo dia 26, às 10h

URP

A URP é um índice econômico criado em 1987 para reajuste de preços e salários. O índice era pago desde 1989 aos servidores que recorreram à Justiça à época pedindo o pagamento de uma diferença de 26,05%. Mas, por decisão administrativa, em 1991 passou a ser pago a todos funcionários como se fosse uma gratificação, inclusive a servidores recém-aprovados em concurso.

O Sintfub afirma que a parcela referente a URP representa mais de um quarto dos salários dos servidores.

    Leia tudo sobre: greveunb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG