Prêmio Vivaleitura 2008 anuncia vencedores

SÃO PAULO - A Comissão de Seleção anunciou os vencedores do Prêmio Vivaleitura 2008 na noite desta quarta-feira, durante o evento realizado no Museu de Arte de São Paulo (MASP). Dentre os quase 2 mil trabalhos recebidos pela comissão, 15 finalistas foram escolhidos como melhores iniciativas. Cada um dos vencedores recebeu o prêmio de R$30 mil.

Redação |

Acordo Ortográfico

A Comissão é formada por representantes do Ministério da Educação, Ministério da Cultura, Organização dos Estados Ibero-Americanos e Fundação Santilana. Anualmente são escolhidos cinco trabalhos para cada categoria que compõem o prêmio: bibliotecas públicas, privadas ou comunitárias; escolas públicas ou privadas; e Sociedade: ONGs, pessoas físicas, universidades, faculdades e instituições.

Este ano, os trabalhos Ônibus Biblioteca (São Paulo ¿ SP), Projeto de Leitura Bibliotecas Escolares: Palavras Andantes (Londrina ¿ PR) e Formação de Multiplicadores da Expedição Vaga Lume (São Paulo ¿ SP) foram destaques entre os premiados das respectivas categoria.

Conheça os destaques:

  • Ônibus Biblioteca: premiado na categoria Bibliotecas públicas, privadas ou comunitárias, o projeto pertence ao Sistema Municipal de Bibliotecas da Secretaria Municipal de Cultura da cidade de São Paulo, tem como proposta promover a democratização cultural por meio do acesso gratuito a um acervo composto por livros, jornais, revistas e quadrinhos. A iniciativa nasceu por sugestão do primeiro diretor do Departamento de Cultura paulistano, o escritor Mario de Andrade, em 1930. O trabalho foi desativado em 1942, mas foi retomado em 1979. Em 2008 o projeto passou a atuar com quatro ônibus, atendendo 28 pontos fixos de São Paulo, priorizando as regiões da periferia.

  • Projeto de Leitura Bibliotecas Escolares - Palavras Andantes: compondo a categoria Escolas Públicas e Privadas, o trabalho acontece na rede municipal de ensino de Londrina, em 80 escolas. Criado em 2002, o projeto tem quatro focos de atuação: formação continuada dos professores, realização semanal da Hora do Conto, reestruturação arquitetônica e pedagógica das bibliotecas escolares e ampliação dos acervos.
    O diferencial da iniciativa é a formação dos mediadores, que fazem a ponte entre o livro e o professor. A formação é feita por meio de cursos mensais, desenvolvidos pelo próprio projeto. Até o momento, 135 mediadores já foram formados, beneficiando mais de 30 mil alunos da rede de ensino pública de Londrina.

  • Formação de Multiplicadores da Expedição Vaga Lume: Na categoria Sociedade: ONGs, pessoas físicas, universidades, faculdades e instituições, o projeto busca formar mediadores de leitura e responsáveis pela implementação e pela gestão de bibliotecas comunitárias em áreas rurais da Amazônia Legal Brasileira. É uma iniciativa que nasceu da experiência desenvolvida há nove anos pela Expedição Vaga Lume, que promoveu o acesso ao livro em comunidades onde não há materiais impressos. O programa já formou mais de 1600 mediadores de leitura, implantou 127 bibliotecas rurais na região e beneficiou mais 20 mil crianças. Atualmente, 20 equipes estão atuando na região.

Leia mais sobre: Prêmio Vivaleitura

    Leia tudo sobre: prêmiosvivaleitura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG