Prefeitura de São Paulo vai investir na recuperação escolar

Pela primeira vez, Secretaria de Educação irá lançar programa de reforço para alunos do ensino fundamental

Marina Morena Costa, iG São Paulo |

Com base nos resultados da Prova São Paulo, avaliação anual da Prefeitura aplicada a seus alunos, e de uma pesquisa que traçou o perfil da rede municipal de ensino , a Secretaria de Educação de São Paulo irá implantar um programa de recuperação escolar focado nas principais dificuldades dos estudantes em Português e Matemática, disciplinas cobradas nas principais avaliações de desempenho. Uma portaria com as diretrizes do programa será publicada no Diário Oficial até a semana que vem, segundo o secretário municipal de Educação, Alexandre Schneider.

De acordo com o secretário, as Salas de Apoio Pedagógico (SAPs), locais onde hoje um professor atende alunos com diversas dificuldades de aprendizado, passarão a ter dois professores, um para cada disciplina, para atender os alunos com dificuldades fora do horário de aula. Materiais didáticos específicos e treinamento de professores serão realizados para atender aos estudantes ainda no primeiro semestre. Para estimular os docentes a dar reforço em Matemática, será concedido um bônus para os responsáveis por esta disciplina.

Até então, a recuperação paralela era desenvolvida pelas escolas nas SAPs, sem uma orientação ou materiais didáticos específicos. Cerca de 78% das 544 escolas municipais de ensino fundamental têm programas próprios de recuperação e mais de um quarto dos alunos frequenta essas atividades. No ciclo I (6 a 10 anos), quase metade dos estudantes fazem atividades de apoio à aprendizagem – 23% estão em aulas de recuperação paralela em Matemática e 30,3% em Português. Já no ciclo II (11 a 14 anos), 22,4% fazem reforço em Matemática e 25,3% em Português.

Segundo a pesquisa que traça o raio-X da rede municipal, mais da metade (51,6%) dos estudantes do ciclo I gostam das atividades nas SAPs. “A pesquisa nos mostra que estamos no caminho certo ao criar um programa de recuperação. Os alunos gostam das atividades e precisam do reforço”, destaca Schneider. Para o secretário, outro ponto positivo é que as escolas não esperaram a secretaria, criaram seus programas de recuperação escolar.

Recuperação e reforço escolar

Atividades frequentadas por alunos do ciclo I do Ensino Fundamental

Gerando gráfico...
SME/São Paulo

Atividades extracurriculares

A Secretaria de Educação irá publicar uma portaria orientando as escolas a montarem grades curriculares com 7 horas de duração. As duas horas adicionais serão destinadas a atividades extracurriculares diversas, como aulas de xadrez, informática, capoeira, ginástica olímpica e atividades em grupo como bandas musicais, jogos e teatro.

A ampliação das atividades curriculares irá contar com 50% dos recursos do Ministério da Educação, por meio do programa Mais Educação, e 50% da Secretaria de São Paulo. O valor da verba destinada para essa finalidade ainda não foi divulgado.

Recuperação contínua

Além da recuperação paralela, os estudantes seguem com a recuperação contínua, feita em sala de aula, duas vezes por semana, com os cadernos de Apoio e Aprendizagem, de Língua Portuguesa e Matemática. O material, aprovado na pesquisa por pais e professores, foi elaborado pela Secretaria de Educação em parceria com a Fundação Padre Anchieta, mantenedora da TV e Rádio Cultura. Vídeos infantis e educativos da emissora são utilizados nas atividades propostas nos cadernos, em sala de aula ou em casa.

“O objetivo é tornar a aula mais agradável para os alunos. Em pouco tempo tivemos um resultado bastante positivo. Os livros foram entregues em abril e em novembro, pais e professores os avaliaram bem”, destaca Schneider.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG