Governo anuncia aumento de 13,8% que inclui incorporação de gratificação. Na prática, docente vai ganhar R$ 133 a mais

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou nesta quarta-feira que o piso do professor na rede estadual paulista passará dos atuais R$ 1.665 para R$ 1.894 para 40 horas semanais a partir de julho.  O aumento bruto é de 13,8%, mas esta conta inclui a incorporação no salário base de R$ 96 que já são recebidos por todos os docentes com o nome de Gratificação Geral. Portanto, na prática, serão R$ 133 a mais.

Também já foram previstos aumentos para os três anos seguintes, conforme tabela abaixo. Em 2014, o professor iniciante terá piso de R$ 2.368, um aumento de 42,2% em relação ao atual. Não foi explicado se estes aumentos serão acrescidos da inflação que vier a existir neste período.

Piso do professor Aumento em porcentual Valor final
Atual -- R$ 1.665
julho de 2011 13,8%* R$ 1.894
2012 10,2% R$ 2.088
2013 6% R$ 2.213
2014 7% R$ 2.368
*a incorporação da Gratificação Geral está contada no porcentual

O secretário de Educação, Herman Voorwald, disse que detalhes serão melhor compreendidos quando ficar pronto o plano de carreira do professor previsto para o próximo mês. “A evolução do salário se dará pela experiência e pelo aprimoramento”, disse.

Outra incorporação que vem ocorrendo aos poucos desde 2010, da Gratificação por Atividade de Magistério (GAM), não está incluída neste aumento. A transformação de benefícios  em salário favorece aposentados. “É uma reivindicação da rede melhorar a remuneração de quem ajudou a construir a educação do Estado”, afirma Herman, que tem feito reuniões com funcionários de escolas em todas as regiões de São Paulo.

Segundo ele, no entanto, o principal objetivo é atrair para a carreira novos profissionais. "Queremos que os jovens se interessem pela carreira."

Secretário Herman Voorwald participa de anuncio de aumento ao lado do governador Geraldo Alckmin
Divulgação
Secretário Herman Voorwald participa de anuncio de aumento ao lado do governador Geraldo Alckmin
O salário base também muda o valor final recebido por profissionais com experiência porque os quinquênios – acréscimos de 5% a cada cinco anos de dedicação a rede – são calculados sobre este piso. Atualmento a rede estadual tem 225 mil ativos e 149 mil aposentados ou afastados.

Concurso para funcionários

O projeto de lei anunciado por Alckmin prevê também a contratação de mais 10 mil funcionários para escolas. A ideia é ter pelo menos um “gerente de organização escolar” em cada uma das 5.260 unidades do estado para auxiliar a direção em questões administrativas e permitir que elas se dediquem mais ao trabalho pedagógico. Além disso, serão contratados “agentes de organização” que devem auxiliar em diferentes funções escolares.

A abertura de concurso para novos funcionários é o ponto mais comemorado pelo sindicato dos professores (Apeoesp). "Estávamos precisando de uma figura que desonerasse o diretor das questões administrativas", afirmou a presidente da entidade, Maria Isabel Noronha. "Em relação ao aumento, ainda não é o que queríamos, mas é uma proposta", disse.

Piso nacional

O novo piso paulista é 59% maior do que o estabelecido por lei como mínimo em todo o País, que atualmente é de R$ 1.187. Ainda assim, há uma defasagem em relação a outras profissões com formação superior. Segundo o sindicato esta diferença é de 17%, mesmo depois do aumento.

De acordo com o governador, os aumentos significarão R$ 824 milhões de gastos este ano; R$ 2,29 bilhões em 2012; R$ 2,78 bilhões em 2013 e R$ 3,71 em 2014.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.