Grupo usava pontos eletrônicos para informar respostas aos vestibulandos e fraudou 13 processos seletivos em cinco Estados

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (13) a Operação Arcano que desarticulou uma quadrilha que fraudava vestibulares de medicina em cinco Estados. O grupo utilizava pontos eletrônicos para passar as respostas aos candidatos. Os criminosos atuaram em 13 vestibulares promovidos por instituições privadas de ensino superior nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Piauí, Maranhão, Goiás e Mato Grosso.

Foram expedidos 15 mandados de prisão e 16 mandados de busca e apreensão. Todos os mandados foram cumpridos e os detidos são de Jaú (SP), Ituverava (SP), Rio Grande (RS), Jataí (GO), Goiânia (GO), Marabá (PA), Teresina (PI), Lauro de Freitas (BA), Porto Nacional (TO) e Gurupi (TO).

Os acusados estão sujeitos a pena de um a três anos de detenção. Os presos responderão pelos crimes de formação de quadrilha e estelionato, cujas penas somadas podem atingir de dois a oito anos de prisão. Os alunos que se beneficiaram da fraude responderão por crime de estelionato.

A operação foi batizada de arcano em razão de seu significado, que é “remédio secreto” em
latim.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.