Pesquisa revela que alunos de escolas públicas faltam mais às aulas

A Pesquisa Nacional da Saúde do Escolar (Pense), divulgada nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revela que 18,5% dos 618,5 mil estudantes 9º ano do ensino fundamental nas capitais e no Distrito Federal faltaram à aula sem autorização dos pais ou responsáveis. Os dados levam em conta os 30 dias anteriores ao questionamento.

iG São Paulo |

Do total, 20,7% dos faltosos são de escolas públicas e 10,1%, de instituições privadas. Em Cuiabá, foi registrada a maior ocorrência de faltosos (23,4%) e em Teresina (12,4%), a menor.

A freqüência de alunos da rede privada cujas mães tinham ensino superior completo foi quase seis vezes maior que a dos escolares da rede pública, respectivamente 46,9% e 8,0%. Quando a análise abordou as mães que não terminaram o ensino fundamental, a proporção de estudantes da rede pública foi de 27,6% diante 4,7% da rede privada.

Pela Pense, o porcentual de escolares cujas mães não tinham qualquer grau de ensino ou tinham somente o ensino fundamental incompleto foi de 25,9% contra 16,1% daqueles cujas mães possuíam o nível superior completo.

A proporção de estudantes cujas mães não tinham qualquer grau de ensino ou tinham somente o ensino fundamental incompleto foi mais elevada em Maceió (37,7%) e menor em Vitória (19,2%). Esta capital e o Distrito Federal apresentaram os maiores porcentuais de escolares que tinham mães com ensino superior completo (26,9% e 20,9%, respectivamente). Não souberam informar a escolaridade materna 18,5% dos entrevistados.

O levantamento mostra que a maioria dos entrevistados (58,3%) vive com o pai e a mãe. Moram somente com as mães 31,9% e com o pai, 4,6%. Já 5,2% não moram nem com a mãe nem com o pai.

    Leia tudo sobre: frequenciafreqüência escolaribgepense

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG