Passeata em praia carioca condena suspensão do kit anti-homofobia

Grupos gays ligados a igrejas caminharam pela orla da Praia de Ipanema, no Rio, pedindo uma educação mais inclusiva

Agência Brasil |

Dezenas de pessoas caminharam pela orla da Praia de Ipanema, na zona sul do Rio de Janeiro, na manhã deste domingo em uma manifestação contra a decisão da presidenta Dilma Rousseff, na quarta-feira passada, de suspender a distribuição do kit anti-homofobia nas escolas públicas do país. A caminhada foi organizada por grupos gays das igrejas Católica e Evangélica que carregavam faixas e cartazes pedindo uma educação mais inclusiva.

Membro do grupo Diversidade Católica, formado por gays católicos, Juliana Luvizaro disse que a passeata busca, sobretudo, chamar a sociedade para discutir a questão da homossexualidade nas escolas, que não é tratado de maneira responsável e cidadã.

“Ninguém transforma ninguém em gay. Assim como não se pode transformar um gay em heterossexual. Pedimos uma educação inclusiva dentro de casa e na escola, porque a violência contra alunos que se descobrem homossexuais ou transexuais é grande e o número de evasão escolar dessas crianças é enorme”.

Juliana afirmou ainda esperar que Dilma Rousseff reformule o kit para que atenda a todas as camadas da sociedade, mas que o material não deixe de ser oferecido nas escolas.

“O kit foi feito com a ajuda de diferentes grupos da sociedade e foi aprovado pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação). Trata-se de um material para ajudar o educador e os alunos a praticarem o respeito à pluralidade e às diferenças".

O consultor financeiro Renato Roizenblit, que passeava no calçadão da Praia de Ipanema com a esposa Daniele e a filha Raíssa, de 1 ano de idade, comemorou a iniciativa. “Essa passeata deveria ter acontecido há muito tempo, mas antes tarde do que nunca, né? A gente tem que educar as pessoas para aceitarem as diferenças”, disse.

O kit anti-homofobia suspenso inclui um caderno com orientações para professores, uma carta para o diretor da escola, cartazes de divulgação nos murais do colégio, boletins para os alunos e gravações em vídeos .

    Leia tudo sobre: kit anti-homofobiaeducaçãohaddaddilmakitescolas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG