Paralisação deixa 90 mil alunos sem aula em Teresina

Funcionários públicos reclamam que o piso da categoria, inclusive para docentes, é de R$ 464

Wilson Lima, iG Maranhão |

Aproximadamente 90 mil estudantes do ensino fundamental estão sem aulas em Teresina, capital do Piauí, em decorrência da greve dos professores da rede pública municipal, iniciada na segunda-feira. Segundo o Sindicato dos Servidores Municipais de Teresina (Sindserm), pelo menos 90% dos professores aderiram à paralisação.

Os docentes reivindicam aumento salarial 47%, equivalente às perdas reais dos docentes nos últimos anos. Além dos professores, outras categorias do funcionalismo público municipal de Teresina também aderiram à greve, como os técnicos administrativos e os da Secretaria Municipal de Saúde. Pelos dados do Sindserm, entre 12 mil e 15 mil servidores estão com as atividades paralisadas em Teresina. Hoje, segundo o sindicato, o salário base do funcionário público de Teresina, incluindo os professores, é de R$ 464,00.

Segundo o presidente do Sindserm, Sinésio Soares, os funcionários públicos de Teresina apresentaram uma proposta de acordo salarial em 04 de abril, cuja resposta foi encaminhada à categoria apenas três semanas depois. “Eles disseram apenas que não tinham uma contra-proposta. Sem uma contra-proposta, não temos como iniciar uma negociação”, declarou Soares.

A prefeitura de Teresina, por sua vez, informou que as negociações estão abertas com os funcionários públicos. Mas, até o momento, não confirmou se outras reuniões já estão marcadas. O município ofereceu aumento de 6% aos servidores da capital do Piauí.

    Leia tudo sobre: grevemaranhãoparalisação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG