Pais aprovam escolas municipais de São Paulo

Pesquisa feita com pais, alunos, professores e diretores traça um perfil inédito da rede municipal de ensino

Marina Morena Costa, iG São Paulo |

Pais de alunos da rede pública municipal de São Paulo estão satisfeitos com escolas, professores e materiais didáticos. A localização das instituições recebeu nota média 8,2 dada por quase 250 mil pais; os docentes foram avaliados em 8,1, os cadernos de apoio e aprendizagem (materiais pedagógicos novos), 8,0, e os diretores, coordenadores e demais profissionais que trabalham nas unidades tiveram nota 7,6 (em uma escala de zero a dez).

Os itens menos bem avaliados pelos pais e responsáveis foram a segurança da escola, nota 6,2, e a disciplina dos alunos, 5,6. Os dados fazem parte de uma pesquisa realizada em novembro de 2010, com 250 mil pais, 243 mil alunos do ensino fundamental e 10 mil educadores – professores, diretores, supervisores e coordenadores.

Os primeiros resultados dos mais de 500 mil questionários respondidos foram divulgados nesta quarta-feira pela Secretaria de Educação e revelam o perfil mais abrangente já traçado da rede municipal. “Queríamos ouvir os principais atores da educação municipal e verificar o que pensam, acham e querem do ensino”, afirma o secretário municipal de Educação, Alexandre Schneider.

Acompanhamento

Foi questionado aos pais se eles acompanham os estudos de seus filhos e 74,3% responderam que sim. Quase metade (48,8%) estabelece horários para que os estudantes tenham uma rotina de estudos e 85,7% perguntam se a lição de casa foi feita. “Os pais estão se apropriando mais da escola e entendem que a lição de casa é importante”, avalia o secretário.

Quase 40% dos pais afirmam que seus filhos fazem lições de casa todo dia ou quase todo dia, mas praticamente o mesmo número diz que as tarefas são feitas algumas vezes (39,6%). Para o secretário de Educação, a pesquisa aponta que é preciso aumentar “sensivelmente” o número de tarefas dadas para fazerem em casa e mostrar aos pais como eles podem colaborar para o aprendizado dos filhos.

Acompanhamento dos estudos dos filhos

Frequentemente pergunto se meu filho fez a lição de casa?

Gerando gráfico...
SME/São Paulo

Estudantes

Os alunos entrevistados pela pesquisa responderam o motivo pelo qual gostam da escola e sobre quais atividades extracurriculares preferem. Entre as crianças de 6 a 10 anos (ciclo I), 77,8% gosta da escola porque é lá onde se aprende muitas coisas; 74% fazem muitos amigos; para 62,5% suas opiniões são importantes e 58,7% destacam que são respeitados.

Um em cada quatro alunos do ensino fundamental frequenta aulas de recuperação paralela (fora do horário de aula) e 51,6% dos estudantes do ciclo I gostam das atividades nas Salas de Apoio Pedagógico, onde é dada a recuperação. “Surpreendentemente, os alunos gostam de fazer recuperação. A pesquisa nos dá um recado claro: precisamos ampliar a recuperação”, avalia Schneider.

Ainda neste semestre, a Secretaria de Educação irá implantar o primeiro programa de recuperação escolar da rede – até então a atividade era desenvolvida pelas escolas sem uma orientação ou materiais didáticos específicos. Com base nos resultados da Prova São Paulo e no questionário foi elaborado um material pedagógico que irá trabalhar as principais dificuldades em português e matemática. O programa inclui ainda treinamento de professores e bônus para quem der aulas de recuperação de Matemática.

Professores

“Os professores estão com a autoestima elevada”, comemora o secretário. De fato, os 8.091 professores que responderam ao questionário anonimamente se autoavaliaram bem e têm uma boa percepção em relação à direção da escola onde trabalham. A amostra é representativa, pois na rede inteira há 32 mil professores de ensino fundamental.

Para 97% dos entrevistados, seu desempenho pessoal é muito bom (49%) ou bom (48%); 94,4% sentem que são parte importante da escola; 95,6% sentem-se seguros em relação ao trabalho que realizam na escola; 92,4% confiam profissionalmente no diretor e 93,4% acreditam que existe um clima de cooperação entre os docentes.

A pesquisa foi realizada pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe), órgão da Universidade de Brasília (UnB) responsável pela elaboração e aplicação de avaliações, concursos públicos e pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O questionário apresentava múltiplas respostas e os resultados foram traçados de acordo com a Teoria da Resposta ao Item (TRI). Na semana que vem, as escolas municipais irão receber os relatórios individuais de desempenho no questionário.


Autoavaliação dos professores

Como considero o meu desempenho?

Gerando gráfico...
SME/São Paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG