Ocupação de professores dura 26 horas no Pará

Professores da rede pública estadual de ensino do Estado querem pagamento do piso integral de R$ 1.187

Wilson Lima, iG Maranhão |

Durou cerca de 26 horas a ocupação da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Finança (Sepof), invadida por cerca de 200 professores da rede pública estadual de ensino do Pará. A manifestação, iniciada na manhã de quarta-feira (16) e encerrada no início da tarde desta quinta-feira (17) foi um protesto para reabrir as negociações com o governo do Estado para por um fim à paralisação que dura mais de 50 dias.

Cláudio Santos/AGÊNCIA PARÁ
Professores deixa Secretaria Estadual após 26 horas de ocupação
Durante a manifestação, funcionários foram impedidos de trabalhar. Apesar disso, a direção do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Pará (Sintepp) pediu uma inspeção policial para atestar que nada foi depredado. Policiais militares do Batalhão de Choque da PM de Belém ajudaram na desocupação do prédio. Apesar da intervenção da polícia, não houve conflito.

Segundo informações do governo d

o Estado do Pará, após a ocupação do prédio, os professores deixaram colchões nos corredores, um televisor e restos de alimentos. Os integrantes do Sintepp negam.

Nesta sexta-feira pela manhã haverá nova assembleia dos professores para definir os rumos do movimento. A paralisação já foi considerada ilegal pela Justiça e o governo do Estado já iniciou a abertura de procedimento administrativo contra os docentes que não estão dando aulas. Cerca de 100 professores temporários já estão sendo convocados pela Secretaria Estadual de Educação do Pará (Seduc) para substituir os grevistas.

Os professores do Pará reivindicam o pagamento do piso nacional de R$ 1.187. Em nota, o governo do Estado do Pará afirmou que “reitera sua posição de só voltar a negociar com os grevistas após o retorno às salas de aula”.

    Leia tudo sobre: parágreve de professores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG