Obras da Faculdade da UnB em Ceilândia ameaçam 2º semestre

Um prédio do câmpus será concluído pela reitoria este mês, mas o restante das obras, de responsabilidade do governo, vai atrasar

Priscilla Borges, iG Brasília |

As obras no campus da Universidade de Brasília (UnB) em Ceilândia, cidade satélite localizada a 25 quilômetros do Plano Piloto, vão sofrer mais um atraso. Previsto para ser entregue há três anos, em fevereiro de 2009, o campus está inacabado até hoje. Os 1,5 mil estudantes de cinco cursos da área de saúde têm aulas em instalações provisórias.

Agência UnB
Obras do segundo prédio de salas de aula do campus vão sofrer atrasos
Leia também: Do sonho de Darcy Ribeiro nasceu a UnB

Pela parceria feita entre a UnB e o governo do Distrito Federal, a primeira parte do campus deveria ser construída pelo governo. Por causa dos atrasos, no fim ano passado, a reitoria se comprometeu a terminar as obras do primeiro prédio de salas de aula . Os alunos acamparam na reitoria para exigir providências para não atrapalhar o 1º semestre de 2012.

Ao mesmo tempo, o governo se comprometeu a terminar o segundo prédio de salas de aula, essencial para que a primeira turma do curso de Fonoaudiologia iniciasse as aulas no segundo semestre deste ano. No entanto, a licitação para contratar a empresa que faria as obras havia sido suspensa pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal no último dia 9.

Nesta quarta-feira, o tribunal liberou a continuação das obras. Segundo o TCDF, o órgão dogoverno responsável pela licitação, a Novacap fez as alterações solicitadas pelo tribunal no edital: a inclusão de cadernos de especificações, projetos de fundação e de paisagismo; o ajuste de itens ao preço de mercado; a elaboração do cronograma físico-financeiro e o estabelecimento de critérios de medição precisos e regras claras.

O edital terá de ser republicado com mais 30 dias de prazo. Por isso, as aulas do novo curso e o planejamento de oferecer turmas à noite estão ameaçados. "Esse foi apenas mais um dos inúmeros obstáculos que se se sobrepõem na implantação do câmpus em Ceilândia. Esse atraso já tem um impacto sim no segundo semestre, porque resta terminar 70% da obra", explica Diana Moura, diretora da Faculdade UnB-Ceilândia.

Diana ressalta que o atraso não atrapalhará o início das aulas em março, porque a universidade assumiu a construção do primeiro bloco de salas de aulas. "Não estávamos contando com esse prédio para o primeiro semestre. Mas ficamos extremamente frustrados, porque tudo é uma luta nesse campus. Esse atraso foi um balde de água fria", diz.

O novo orçamento para a licitação foi reajustado, de acordo com o TCDF. O valor ficou R$ 35.450,50 mais barato que o preço inicial original, chegando a R$ 7.664.433,04.

Agência UnB
O primeiro prédio da faculdade ficará pronto este mês porque reitoria assumiu construção, que deveria ter sido feita pelo governo
Novela longa
A primeira empreiteira contratada pelo governo do Distrito Federal para construir o câmpus não cumpriu o contrato. O processo se arrasta desde 2009, quando as obras deveriam ter terminado. Em setembro do ano passado, os estudantes invadiram a reitoria do câmpus do Plano Piloto para pressionar por providências.

Professores e alunos da Faculdade de Ceilândia queriam a suspensão do vestibular , medida considerada extrema pela reitoria.

Depois da pressão dos estudantes, o reitor da UnB, José Geraldo de Sousa Junior, decidiu assumir a conclusão de um prédio de salas de aulas e de professores – cerca de 700 estudantes já circulam no novo câmpus em um prédio que ainda não está totalmente pronto – e o governo se comprometeu a terminar outro.

    Leia tudo sobre: UnBcampus Ceilândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG