O @

Antes de Gutenberg, os livros eram escritos à mão por profissionais chamados copistas. Para economizar tinta e papel (caríssimos na época), os copistas substituíam letras, palavras e nomes próprios por símbolos, sinais e abreviaturas.

Reinaldo Pimenta |

Foi assim que surgiu o til (~), para substituir uma letra (um m, um n) que nasalizava a vogal anterior o til é um enezinho sobre a letra, pode olhar.

O nome espanhol Francisco, também grafado Phrancisco, ganhou as abreviaturas Phco. e Pco. E foi daí que Francisco ganhou em espanhol o apelido de Paco.

Os santos eram identificados por um algo importante nas suas vidas. São José vinha seguido de Jesus Christi Pater Putativus (o pai putativo, suposto, de Jesus Cristo). Depois os copistas passaram a usar a abreviatura JHS PP e mais tarde PP. E foi daí que José ganhou em espanhol o apelido de Pepe.

Já para substituir a palavra latina et (e), os copistas criaram um símbolo que seria o resultado do entrelaçamento dessas duas letras: & (com alguma imaginação você vê aí um e e um t entrelaçados; está bem, com muita imaginação). Esse sinal ficou conhecido como e comercial; em inglês, tem o nome de ampersand, que veio de and (e em inglês) + per se (por si em latim) + and.

Com o mesmo recurso do entrelaçamento de duas letras, os copistas criaram o símbolo @ para substituir a preposição latina ad, que tinha, entre outros, o sentido de em casa de. Como é que isso veio parar nos endereços eletrônicos? Por que para nós @ é arroba e para os ingleses @ é at? Fortes emoções na próxima edição!

Leia mais sobre: A Casa da Mãe Joana

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG