Nota de falecimento

Comunicamos o falecimento do pronome CUJO (e variações) por falta de uso. O féretro saiu faz tempo, o corpo não foi velado por ninguém. Ironicamente, a morte não lhe deu nem a qualificação de ¿de cujus¿, pois não deixou bens a inventariar. Somente os amigos da língua portuguesa tentam garantir a sobrevida do falecido.

Reinaldo Pimenta |

As duas frases abaixo apresentam erro.
(1) Chegou o professor QUE o carro foi roubado.
(2) Chorava muito a mãe QUE as filhas insultaram o vendedor.

O pronome CUJO é utilizado nas relações de posse, assim: possuidor + CUJO + possuído. Concorda com o possuído e não deve vir seguido de artigo (o, a, os, as).

As duas frases acima devem ser corrigidas nas formas abaixo.
(1) Chegou o professor CUJO carro foi roubado.
(2) Chorava muito a mãe CUJAS filhas insultaram o vendedor.

Observe o seguinte texto em mensagem recente do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios em campanha pelos direitos da criança e do adolescente, legendando a foto de uma menina chorando.

Lágrimas tem vários significados. Um brinquedo QUE acabou a pilha é o que a gente prefere que aconteça.

Corrigindo:
Lágrimas TÊM vários significados. Um brinquedo CUJA pilha acabou é o que a gente prefere que aconteça.

Amigo da língua portuguesa, não deixe que o pronome CUJO desapareça.

Leia mais sobre: Português Urgente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG