Nasa poderá mudar planos de viagem à Marte em 2020

O novo diretor da agência espacial americana, Charlie Bolden, disse em discurso aos funcionários da Nasa, na última terça-feira, que as metas espaciais vão precisar ser revistas.

Apolo11 |


Devido o alto custo das missões espaciais, a Nasa não conseguirá manter seu rumo atual, que inclui a tripular a Estação Espacial Internacional (ISS), pousar novamente na Lua e por fim realizar o maior desafio, uma viagem tripulada à Marte, tudo isso até 2020.

No ano que vem a agência espera concluir a construção da ISS e aposentar a frota atual dos ônibus espaciais. Até que os novos ônibus fiquem prontos, as viagens à plataforma orbital ficarão a cargo dos russos.

"Não podemos sobreviver no rumo em que estamos agora", disse Charlie Bolden, general da reserva dos Marines e quatro vezes tripulante de ônibus espaciais. Bolden foi nomeado em maio pelo presidente dos Estados Unidos Barack Obama.

"O desafio para nós nos próximos meses é entender qual é o caminho mais eficiente, com melhor relação custo- benefício para chegar lá, acrescentou Bolden se referindo a viagem ao planeta Marte.

Há quatro anos, a estimativa de enviar astronautas à Lua girava em torno de U$ 110 bilhões, mas esse custo já foi revisto e caiu para cerca de U$ 40 bilhões.

A Nasa gasta aproximadamente metade do seu orçamento anual de 18 bilhões de dólares só com as viagens tripuladas.

Uma comissão do governo está avaliando os planos relativos ao programa espacial tripulado norte-americano e deve apresentar um relatório no próximo mês.

Foto: Paisagem marciana do platô Home Plate, registrada pelo robô explorador Spiritem dezembro de 2007. Crédito:Nasa/Caltech/Jet Propulsion Laboratory/


Leia mais sobre: Marte

    Leia tudo sobre: martenasa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG