Nasa cria boneco para estudar efeito da radiação em humanos

Imagine um boneco repleto de fios e sensores, sem braços ou pernas e com órgãos internos feitos de plástico, mas com sangue e ossos reais de seres humanos. Agora imagine esse boneco sendo bombardeado por intensos feixes de radiação que fulminariam qualquer pessoa em poucos segundos. Até parece cena de ficção científica, mas não é. Fred realmente existe.

Apolo11 |

Se você achou que estamos falando de Frankenstein ou qualquer outra aberração da natureza, errou. Fred é um boneco criado pela Nasa e será usado para simular as severas condições a que estarão submetidos os futuros exploradores da Lua e de Marte, que não contarão com a proteção da atmosfera terrestre contra os letais raios cósmicos vindos do espaço.

O experimento consiste em disparar um feixe de prótons de alta-energia contra a réplica de um tronco humano, repleto de centenas de sensores de radiação, simulando um ambiente de fortes tempestades solares e intenso bombardeamento por raios cósmicos.

"Colocamos células sanguíneas em pequenos tubos no interior do estômago e em alguns lugares da medula óssea", disse Francis Cicinotta, cientista chefe do Programa de Radiação do Centro Espacial Johnson, da Nasa. "Uma das questões é conhecer quais são as partes menos blindadas da medula".

O objetivo é observar os efeitos da radiação nas células de Fred e estudar como a radiação que atinge a medula óssea pode aumentar os riscos de leucemia e outras doenças, além de conhecer como o DNA é afetado.

Durante as missões espaciais os astronautas são submetidos a baixos índices de radiação e seus corpos tem tempo suficiente para reparar ou substituir as células danificadas. No entanto, durante uma explosão solar, a exposição a elevados níveis de radiação pode levar horas, com sérios riscos à saúde.

Segundo Cicinota, os efeitos biológicos são muito sensíveis às doses recebidas. "Uma dose de radiação recebida durante um breve período pode ser duas a três vezes mais prejudicial do que a mesma dose recebida durante vários dias."

Os astronautas das missões Apollo 16 e 17 escaparam por pouco de serem atingidos por uma gigantesca tempestade solar que ocorreu entre as missões, 1972. Na ocasião, um grande mancha solar produziu uma das maiores tempestades solares já registradas. Se tivesse ocorrido quando os astronautas estivessem na Lua, os resultados poderiam ser catastróficos.

Os pesquisadores pretendem recriar esse evento no Laboratório Nacional de Radiação, dos EUA, usando um feixe de prótons que bombardeará uma boneca chamada Matroshka, pertencente à agência espacial europeia, ESA.

Irmã de Fred

Matroshka é conhecida na Nasa como a irmã de Fred. Ambos já voaram juntos em experimentos a bordo da Estação Espacial Internacional e dos ônibus espaciais e coletaram diversos dados sobre a exposição crônica à radiação e como ela pode afetar os seres humanos.

Seja devido à dose letal ou crônica, Fred e Matroshka poderão ser expostos sem problemas à radiação. Basta uma simples transfusão de glóbulos vermelhos e estarão novos, prontos para mais uma aventura no espaço.

No topo, Fred veste uma roupa contra a radiação, durante ensaios sobre novos trajes espaciais. Acima, Fred exibe os sensores de radiação, responsáveis pela medição dos níveis energéticos a que está sendo submetido o boneco. Crédito: Nasa/Johnson Space Center.


Leia mais sobre: Nasa

    Leia tudo sobre: apolo 11nasa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG