Mudanças no Fies aumentarão número de universitários, diz Haddad

Ministro acredita que País chegará a 10 milhões de estudantes de ensino superior após pacote de mudanças no financiamento

Priscilla Borges, iG Brasília |

Com a divulgação das últimas mudanças no Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) planejadas para o governo Lula , o ministro da Educação, Fernando Haddad, acredita que o País dará um salto no número de matrículas no ensino superior. Ele acredita que há condições para que a quantidade chegue a 10 milhões de universitários.

“Estamos nos preparamos para ter a expansão mais importante do programa. Hoje, temos 6,5 milhões de universitários, mas precisamos expandir. E acredito que temos condições de chegar a 10 milhões de estudantes no ensino superior”, afirmou Haddad, após anunciar a criação do fundo que substituirá a figura do fiador no programa, e a ampliação do prazo de quitação da dívida e redução dos juros para quem assinou contratos até o ano passado.

Negando que o anúncio tivesse qualquer viés político ou eleitoral, Haddad disse que a reformulação do financiamento estudantil começou há quatro anos. Garantiu que as medidas divulgadas nesta quarta-feira estavam sendo estudadas desde janeiro e que atendem demandas antigas dos próprios estudantes. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva havia dito que só faria a divulgação das novas regras depois das eleições .

“Se o anúncio tivesse qualquer intenção nesse sentido (eleitoral), o teríamos feito antes do primeiro turno. Na verdade, os estudantes estão pressionando para que haja o prolongamento do prazo de amortização da dívida desde que a lei do novo Fies foi aprovada, em janeiro. Fizemos estudos intensos e pormenorizados junto ao Tesouro Nacional desde então. Tivemos de montar um sistema operacional e isso não se faz a qualquer hora”, disse.

Renegociação das dívidas

Os estudantes que firmaram contratos com o Fies antes de janeiro deste ano serão beneficiados com regras antes concedidas apenas a novos participantes. Os universitários que desejarem poderão ampliar o prazo para quitar a dívida que ainda possuem com o governo e renegociá-la a juros mais baixos.
Eles poderão pagar o saldo devedor em até três vezes o período de utilização do financiamento mais um ano. Para solicitar a revisão, os estudantes deverão pagar prestações de, no mínimo, R$ 100. Mesmo universitários inadimplentes podem solicitar a renegociação.

Os pedidos devem ser feitos pelo site do Fies, onde um simulador também estará disponível aos interessados em recalcular os valores a partir desta quinta-feira.

    Leia tudo sobre: educaçãofiesfundo garantidorfiadorlulahaddad

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG