Segundo inquérito da PF, Inep utilizou no Enem de 2011 itens de todos os 32 cadernos de prova do pré-teste aplicado no Christus

O Ministério Público Federal (MPF) no Ceará lançou uma nova suspeita sobre a aplicação do pré-teste do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O procurador federal Oscar Costa Filho acredita que o Colégio Christus, de Fortaleza, pode ter antecipado a seus alunos mais do que 14 questões .

Segundo o relatório do inquérito da Polícia Federal, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) utilizou no Enem de 2011 questões de todos os 32 cadernos de prova do pré-teste aplicado aos alunos do Christus em outubro de 2010. “A prova do Enem 2011 foi praticamente um espelho do pré-teste aplicado no ano anterior”, disse o procurador Oscar Filho. De acordo com as investigações, há questões idênticas às do pré-teste nas provas do Enem nas quatro áreas de conhecimento.

Leia também:
MEC cancela Enem de abril
Para Mercadante, estudante brasileiro precisa do Enem
Para Haddad, instabilidade jurídica prejudicou Enem

Foi comprovado que a escola distribuiu para suas turmas de vestibulandos apenas dois dos 32 cadernos. Contudo, a investigação policial constatou que a funcionária da escola indiciada por copiar o pré-teste teve acesso a todo o material. Maria das Dores Nobre Rabelo ficou encarregada de receber as provas dos representantes da Fundação Cesgranrio e repassá-las aos fiscais, “tendo tempo e condições para reproduzir o material”, conforme o relatório da PF.

Para Oscar Filho, isso significa que o número de questões copiadas e distribuídas aos alunos do Christus é bem maior do que se pensa. Entretanto, ele acredita que o problema mais grave está na verificação de que é o Inep tem um banco de itens pré-testados, e prontos para serem utilizados no Enem, menor do que diz ter. “O banco de seis mil questões é uma informação falsa”.

Diante dessas constatações, o procurador federal ingressou com uma nova ação na Justiça Federal no Ceará. Ele quer que o Inep apresente os outros 30 cadernos do pré-teste aplicado no Christus. “O MEC não pode realizar não somente o Enem de abril, mas qualquer outro, enquanto não resolver isso”, disse.

    Leia tudo sobre: enem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.