Ministro comemora, mas aponta muito trabalho para melhorar ensino

BRASÍLIA - Apesar de satisfeito com a superação das metas para o Índice de Desenvolvimento de Educação Básica (Ideb), em todos os níveis de ensino, entre 2005 e 2007, o ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou que não é hora de diminuir o movimento de melhora da educação.

Regina Bandeira - Último Segundo/Santafé Idéias |

Está na hora de comemorar pouquinho e trabalhar muito, disse nesta quarta-feira. A pesquisa foi feita em escolas de ensino fundamental e médio, públicas e privadas.

O ministro creditou a melhoria nos índices ao foco na aprendizagem e não no número de matrículas. Entre estas ações, está a melhoria na formação de professores e, no fato, de as escolas poderem se basear seus programas no conteúdo das provas, explicou.

Das cem mil escolas públicas avaliadas, as dez mil com menor Ideb vão receber de R$ 10 mil a 70 mil dependendo do numero de alunos na escola para reduzirem as dificuldades.  

Temos uma média aquém do que seria um bom resultado, mas precisamos fixar metas e cumpri-las. O importante é a guinada que estamos dando, disse.

De acordo com o ministro, a meta é atingir índice 5, que seria o alcançado pelas piores escolas dos países com os melhores índices do mundo. Temos que comemorar a reversão de um processo de inércia, destacou. O esforço é manter esse ritmo, porque o primeiro jogo não é igual à final. Precisamos consolidar estes resultados, completou.  

Haddad também destacou o fato de 90% das matrículas de alunos serem feitas em escolas públicas. Com isso, a melhoria no Ideb indicaria maior qualidade no ensino nas escolas da rede pública.

Exemplos 

O Estado de São Paulo foi um dos que obtiveram resultados positivos. A meta prevista para 2007 no ensino fundamental era de 4,8 e foi atingido 4,9. No ensino médio, era de 3,6 e o Ideb foi 3,8, superando inclusive a meta estipulada para 2009, que era de 3,7. No Distrito Federal, a meta para o ensino médio em 2007 era de 3,6, mas foi atingido 4,0, superior à meta para 2009 de 3,7. Já no ensino fundamental, a meta de 4,9 para 2007 foi superada, com Ideb foi de 5,0. Para 2009, o objetivo é 5,2.

Entretanto, alguns estados tiveram mais dificuldades. No Rio de Janeiro, por exemplo, a meta para o ensino médio em 2007 era de 3,3. O estado alcançou, entretanto, Ideb de 3,2. No ensino fundamental, a meta foi atingida, em 4,4.

    Leia tudo sobre: ideb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG