Ministério orienta consumidor a pesquisar com rigor preços de material escolar

BRASÍLIA - A pesquisa de preços é um instrumento essencial aos pais que se dedicam nesta época do ano à compra do material escolar dos filhos. A recomendação foi feita na última terça-feira pelo Ministério da Justiça (MJ), para quem os consumidores devem redobrar a atenção aos contratos de serviços educacionais.

Redação com Agência Brasil |

Educação não é um produto que se encontra na prateleira do supermercado, é um processo de cooperação, construção de pais, alunos e escola, afirmou Ricardo Morishita, diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC).

Especificamente em relação ao material, o DPDC assinala que a escola não pode exigir marca ou loja. A pesquisa de preço é recomendada para que o consumidor possa encontrar opções de produtos com grande diferença de valores.

As unidades de Procons estaduais e municipais oferecem aos consumidores uma pesquisa prévia de preços dos produtos básicos de uma lista de material escolar. As unidades também podem ser procuradas pelos pais, em caso de dúvida sobre os itens da lista.

A respeito dos uniformes, o DPDC ressalta que o consumidor precisa ser informado no momento da matrícula da obrigatoriedade do uso e que os preços não podem fugir à média do mercado. Se houver abuso, os pais também podem recorrer aos órgãos de defesa do consumidor.

Leia mais sobre: Volta às aulas

    Leia tudo sobre: educaçãoescolamateriais escolaresvolta às aulas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG