Médicos vão ganhar pontos para residência com trabalho no SUS

Ministério da Educação aprovou proposta adiantada por ministro da Saúde ao iG: adicional vai variar de 10% a 20% da nota

iG Brasília |

Os médicos recém-formados que atuarem nos programas de atenção básica à saúde vão ganhar pontos extras nas provas de seleção para residência . A Comissão Nacional de Residência Médica do Ministério da Educação definiu que o candidato poderá ganhar entre 10% e 20% de pontuação a mais nas seleções, caso tenha passado de um a dois anos em atendimento na rede pública.

A proposta de estimular o trabalho dos recém-formados nas equipes multiprofissionais do Sistema Único de Saúde foi apresentada ao iG pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, no início do mês de agosto. Para ele, a medida garantiria profissionais nos postos de saúde e no Programa Saúde da Família e adiaria os planos de especialização precoce dos estudantes.

O modelo aprovado pela Comissão Nacional de Residência Médica foi publicado no Diário Oficial da União do último dia 16. Os recém-formados interessados no bônus terão de participar do Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica, mantido pelos Ministérios da Educação e da Saúde, por um ano, pelo menos.

Os contratos serão estabelecidos com os municípios, que terão de pagar remuneração equivalente à recebida pelos funcionários dos programas Saúde da Família do Sistema Único de Saúde (SUS). Quando for preciso, as prefeituras terão de oferecer moradia aos contratados. O trabalho será supervisionado por tutores de instituições de educação superior e de hospitais de ensino.

O candidato que participar um ano do programa receberá pontuação extra de 10% do total alcançado nas provas de residência. Quem optar por trabalhar dois anos nas equipes de atenção básica à saúde ganhará 20%. Médicos matriculados no primeiro ano de programa de residência reconhecido pela comissão poderão trancar o curso por até um ano.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG