Faculdade se antecipou ao processo de análise de currículo aprovado pela universidade há 2 semanas e realiza mudanças há oito anos

selo

A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) se antecipou ao processo de análise de currículo e modernização do projeto pedagógico pelo qual terão de passar todas as graduações da instituição, segundo resolução aprovada há duas semanas . As mudanças, que começaram há oito anos e serão concluídas em 2020, visam a deixar o curso, antes muito focado nos aspectos técnicos da medicina, cada vez mais humanista.

A partir de 2011, as aulas de atenção primária – que consistem em ajudar nos atendimentos das Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município e no Programa de Saúde da Família (PSF), do governo federal – serão estendidas aos estudantes do 5º ano. Atualmente, alunos do 1º e do 3º ano já têm essa disciplina. "A mudança tem sido gradativa, é, na verdade, uma evolução", afirmou o professor Marcos Boulos, diretor da faculdade. "Todos os anos estamos caminhando. Hoje, a grade tem 30% de conteúdos humanísticos."

Segundo o diretor, a reformulação foi debatida com toda a comunidade e tem como meta estar completa em 2020. "Conversarmos com todos os setores, da faculdade e de fora, para formar um profissional compatível com o que se espera. Mas claro que não esperaríamos 2020 para implementar todas as alterações de uma vez", diz.

Nos últimos anos, os futuros médicos também passaram a ter aulas de filosofia, antropologia e relação médico e paciente. As aulas com um viés humanístico aumentam o envolvimento dos futuros médicos com seus pacientes, contam os estudantes. Os alunos do 1.º ano também montaram e estão aplicando projetos de melhoria para as comunidades atendidas pelas UBS.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.