MEC quer avaliar estudantes do Fies com Enem

Fernando Haddad diz que exigência de participação no exame permitirá saber o quanto as faculdades preparam os calouros

Priscilla Borges, iG Brasília |

A partir do ano que vem, os estudantes que pleitearem uma vaga no Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior (Fies) terão de fazer o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem). A exigência vale apenas para os novos alunos das instituições. Se um aluno que está matriculado hoje solicitar o financiamento em 2011, não precisará se submeter à avaliação.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, explicou que a medida tem o objetivo de avaliar os candidatos do Fies e estimulá-los a realizar o Enem. O projeto do MEC é fazer com que os resultados do exame substituam a nota dos ingressantes no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). Hoje, alunos que estão concluindo a graduação e os que estão no fim do primeiro ano de curso são convocados para participar da prova.

Com a avaliação dos estudantes nas diferentes etapas da graduação, o MEC pretende identificar o quanto a universidade contribuiu para o aprendizado do aluno. A obrigatoriedade do Enem na seleção do Fies atenderá a uma reivindicação antiga das próprias instituições privadas. Elas alegam que, durante o primeiro ano do curso, são obrigadas a sanar falhas na formação básica dos estudantes, esforço que não seria considerado e percebido pelo ministério.

“Segundo as faculdades, como o Enade só avalia os estudantes ao final do primeiro ano, esse esforço não é medido. Estamos introduzindo essa nova regra para acompanhar o desempenho do aluno que possui o Fies. Ainda não temos indicadores nesse sentido”, disse. O ministro admitiu, no entanto, que estudos prévios feitos pelo MEC mostram que o desempenho dos beneficiados pelo Fies no Enade é inferior ao dos bolsistas do Programa Universidade para Todos (ProUni).

Mudanças
A partir de agora, os interessados poderão se inscrever no programa a qualquer época do ano. A medida foi tomada, segundo o ministro, para atender uma reivindicação dos próprios alunos. “Não dá para saber quando você vai precisar do Fies, a menos que seja desde o início do curso. Os que perdiam o emprego ou tinham um problema familiar grave que comprometesse o pagamento das mensalidades durante o ano ficavam sem alternativas até a abertura do período de inscrições do Fies”, ponderou Haddad.

Os candidatos já podem se inscrever pelo site http://sisfiesportal.mec.gov.br/ . Eles poderão até fazer simulações do financiamento, que terá parcelas fixas durante todo o período da faculdade e da amortização após a formatura. Mais de 4 mil estudantes já se inscreveram. As alterações feitas no Fies estão publicadas em portaria no Diário Oficial da União desta segunda-feira.

Atualmente, há 486 mil contratos ativos do Fies. O MEC tem recursos para autorizar a assinatura de 200 mil novos contratos este ano. O montante de recursos destinados ao programa chega a R$ 1,6 bilhão (para novos e antigos beneficiários). Depois da criação do Programa Universidade para Todos (ProUni), a procura pelo Fies reduziu bastante. No ano passado, apenas 35 mil contratos foram feitos.

    Leia tudo sobre: educacaofieshaddad

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG