MEC desativa 1.337 polos de ensino à distância

SÃO PAULO - O Ministério da Educação (MEC) determinou a desativação de 1.337 centros de educação à distância no País. As universidades têm o prazo de um ano para promover as melhorias, sob ameaça de descredenciamento.

Redação |

Acordo Ortográfico

Devido ao grande número de denúncias recebidas pelo MEC, deu-se início às análises dos cursos de educação à distância no país. Das universidades englobadas no primeiro grupo de análises, quatro terão seus polos desativados. São elas: Universidade Norte do Paraná (Unopar), com 108.940 alunos matriculados; Faculdade educacional da Lapa (FAEL), com 12.000 alunos matriculados; Universidade Estadual de Tocantins (Unitins), com 92.000 alunos; e Centro Universitário Leonardo da Vinci (Uniaselvi), com 44.238 alunos matriculados.

As instituições de ensino ficam proibidas de receber matrículas para cursos desta modalidade para o próximo ano. Alunos atualmente matriculados poderão terminar o curso, sendo os polos desativados logo após.

O primeiro grupo selecionado foi submetido por concentrar maior número de alunos nas instituições e obterem denúncias sobre os métodos de ensino e estrutura. Instituições com menor concentração fazem parte do segundo grupo de análises, já em andamento.

Os polos desativados possuem deficiência na qualidade do material impresso didática e nos métodos de avaliação, apresentam instalações insuficientes de bibliotecas, faltam salas de estudos, laboratório e mesmo acesso a internet.

Leia mais sobre: Ensino à distância

    Leia tudo sobre: educaçãoensino a distância

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG