Mau desempenho em matemática começa nos primeiros anos

Prova aplicada ao 3º ano traz dados alarmantes. Para pesquisadores, família e escola precisam dar mais atenção à disciplina

Marina Morena Costa, iG São Paulo |

A defasagem dos estudantes brasileiros em matemática é histórica. Desde 1999, o percentual de alunos que deixa o ensino médio com desempenho dentro do esperado varia entre 10% e 13%. Pela primeira vez uma pesquisa apontou que esse atraso começa logo nos primeiros anos da vida escolar: 57% das crianças brasileiras que concluíram o 3º ano (2ª série) do ensino fundamental não conseguem fazer operações simples como contas de soma e subtração e a leitura das horas em um relógio digital. 

A Prova ABC (Avaliação Brasileira do Final do Ciclo de Alfabetização) traçou um perfil inédito da qualidade da alfabetização , em português e matemática, de estudantes de escolas públicas e particulares de todas as capitais brasileiras. Os resultados de matemática foram os mais baixos e mais alarmantes.

O mínimo esperado nesta fase é que as crianças efetuem operações de adição e subtração de números com um ou dois algarismos, resolvam problemas com notas de dinheiro, moedas e unidades de um litro e meio litro, identifiquem os lados de um polígono, completem sequências numéricas de múltiplos de 3 e leiam as horas em um relógio digital, relacionando 20 horas com 8 horas da noite, entre outras tarefas.

Segundo os critérios definidos pelos elaboradores da Prova ABC, desempenhar essas funções significa atingir 175 pontos na escala do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), utilizada em diversas avaliações educacionais. A pontuação média do Brasil foi de 171, com grandes diferenças entre as regiões e as redes pública e privada.

Matemática teve a maior diferença de desempenho na Prova ABC. A melhor média obtida foi a da rede particular da região Sul (224,9) e a pior foi registrada na rede pública do Norte (145,4), uma diferença de 79 pontos. Na porcentagem de alunos com aprendizagem dentro do esperado, a distância entre as duas realidades é de 64 pontos percentuais.

Brasil - Matemática
Rede Pontuação (média 175) Alunos com desempenho adequado
 Pública 158,0  32,6%
 Particular  211,2  74,3%
Total 171,1 42,8%
Fonte: Prova ABC

Desempenho por regiões :

Norte
Rede Pontuação (média 175) Alunos com desempenho adequado
 Pública  145,4 21,9%
 Particular  196,7 67,7%
 Total 152,6 28,3%
Nordeste
Rede Pontuação (média 175) Alunos com desempenho adequado
 Pública 148,0  25,2%
 Particular  186,9  54,7%
Total 158,2 32,4%
Sudeste
Rede Pontuação (média 175) Alunos com desempenho adequado
 Pública  161,9 35,6%
 Particular  224,2 80,6%
Total 179,1 47,9%
Sul
Rede Pontuação (média 175) Alunos com desempenho adequado
 Pública  171,3 44,5%
 Particular  224,9 86,3%
Total 185,6 55,7%
Centro-Oeste
Rede Pontuação (média 175) Alunos com desempenho adequado
 Pública  167,1 40,6%
 Particular  204,2 78,9%
Total 176,5 50,3%
Fonte: Prova ABC

“Quando se fala em alfabetizar, pensa-se em ler e escrever. Mas é fundamental cuidar da parte numérica. Se quisermos ter desenvolvimento tecnológico, não podemos esquecer a matemática”, destaca Ruben Klein, consultor da Fundação Cesgranrio, uma das responsáveis pela avaliação.

Para Klein, culturalmente, a participação da família na alfabetização da língua portuguesa é maior e os pais incentivam mais os filhos a ler e escrever do que a fazer contas. “O conhecimento é acumulativo. Se o estudante não tem o básico, terá dificuldades nos anos seguintes.”

João Horta, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), destaca que os professores trazem suas dificuldades em matemática para a sala de aula. “O desempenho dos alunos de pedagogia em matemática costuma ser muito baixo”, aponta. Para os pesquisadores, é preciso que a formação e a capacitação de professores seja reforçada em como ensinar matemática para as crianças.

A Prova ABC é uma iniciativa do movimento Todos Pela Educação em parceria com o Instituto Paulo Montenegro /IBOPE, a Fundação Cesgranrio e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Desempenho dos estudantes em matemática

Porcentagem dos que aprenderam o mínimo desejado no 5º e 9º anos do ensino fundamental e 3º do médio

Gerando gráfico...
Fonte: MEC/Todos pela Educação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG