Lula quer universidade Brasil-África no Ceará ainda em 2010

Os cursos da universidade serão decididos a partir das indicações dos países da África

EFE |

A universidade Brasil-África destinada a proporcionar o desenvolvimento da África que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá criar no Ceará começará a funcionar antes do fim do ano. Lula, que iniciou sábado a última viagem pela África de seu mandato, esteve em Cabo Verde na cúpula Brasil-Comunidade Econômica dos Estados de África Ocidental (Cedeao), na qual anunciou a abertura dessa instituição, que receberá 5 mil estudantes africanos e 5 mil brasileiros.

Antes de partir de Cabo Verde, Lula disse que esperava que a instituição entrasse em funcionamento antes de sua saída do Governo, em janeiro de 2011, pois a Lei já aguarda aprovação do Congresso e, segundo ele, será assinada "tão breve seja aprovada".

Previamente, na cúpula, Lula anunciou seu plano de abrir a universidade a fim de estreitar as relações entre Brasil e África e ajudar o continente a desenvolver suas capacidades com o retorno dos alunos africanos aos seus países de origem. Os cursos da universidade serão decididos a partir das indicações dos países da África, embora para Lula o mais provável é que ofereça "agricultura, engenharia civil, medicina e gestão pública".

Antes de partir de Cabo Verde, Lula tinha prevista uma reunião na Ilha do Sal com o presidente da Guiné-Bissau, Malam Sanhá. Guiné-Bissau, um pequeno país de África Ocidental de língua portuguesa, sofre uma grave instabilidade devido à constante ingerência dos militares na política e se transformou em plataforma de passagem da cocaína procedente da América do Sul em direção a Europa, o que aumentou a corrupção e a violência.

De Cabo Verde, Lula viaja hoje à Guiné Equatorial, onde deve reunir-se com o presidente, Teodoro Obiang Nguema, para afiançar o desenvolvimento das relações econômicas e comerciais bilaterais. Os dois países têm relações diplomáticas desde 1974 e, em 2005, Malabo, um regime autoritário dirigido com dureza por Obiang desde que acedeu ao poder em um golpe de estado em 1979, abriu sua Embaixada em Brasília, enquanto os brasileiros o fizeram em 2006 na Guiné Equatorial.

O comércio entre os dois países se desenvolveu nos últimos anos, especialmente desde a visita de uma ampla delegação empresarial brasileira a Malabo em 2009, liderada pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior brasileiro, Miguel Jorge.

Após a visita à Guiné Equatorial, Lula irá ao Quênia, de onde viajará à Tanzânia e, posteriormente, a Zâmbia, finalizando seu roteiro na África do Sul, onde assistirá ao encerramento da Copa. Também será o protagonista do ato de apresentação do próximo Mundial de Futebol Brasil 2014, cujo emblema oficial será revelado na África do Sul na próxima quinta-feira.

    Leia tudo sobre: universidade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG