Lula agradece a Haddad e defende ações da pasta de educação

Presidente chama a atenção para a expansão das universidades e das escolas técnicas em cerimônia com ministro

iG São Paulo |

Em cerimônia de entrega de 30 escolas de educação profissional e de 25 campi de universidades em Brasília, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um balanço da educação em seu governo, agradeceu ao ministro Fernando Haddad e criticou a falta de investimentos na área durante governos anteriores.

“O dia de hoje não é de discurso, é de agradecimento. Só conseguimos fazer o que fizemos porque Haddad conseguiu montar uma equipe competente, que o ajudou”, afirmou o presidente sem garantir a permanência do ministro no próximo governo.

O presidente também pediu reitores de universidades federais continuem se reunindo anualmente com os próximos presidentes da República. “É uma coisa simples. Nunca antes na história desse país um presidente criou o hábito de se reunir com reitores todos os anos. Eles tinham medo, como de se reunir com os prefeitos. As pessoas eram eleitas para governar para uma pequena parcela da sociedade, com quem jantavam, tomavam café”, disse.

Entre as ações do governo, Lula chamou a atenção para a expansão das universidades federais e para as escolas técnicas, e ironizou os governos anteriores que, segundo ele, deixaram de investir em educação para pagar contas do FMI e enxugar a máquina pública.

O ministro Haddad, que também participou da cerimônia, afirmou que não há uma área na pasta que deixou de ser aprimorada nos últimos oito anos. “São mais de 100 atos normativos. Nós praticamente redigimos uma nova Constituição. Todo o capítulo da educação foi reescrito”, disse.

Haddad citou o que considera uma coleção de indicadores importantes para a educação do ponto de vista quantitativo e qualitativo, como a ampliação de universidades federais, de campi, de escolas técnicas e da frota escolar. O ministro citou ainda as definições sobre o piso salarial dos professores e as melhorias na merenda escolar. “Nenhuma promessa deixou de ser cumprida”, afirmou.

* Com informações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: lulaministerio-educaçãohaddad

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG