Apolo11." / Apolo11." /

Lcross: Nasa seleciona cratera para impacto lunar de outubro

A agência espacial americana, Nasa, anunciou nesta semana o nome e localização da cratera lunar que será impactada nos próximos dias pelo estágio superior de um foguete Centauro. O objetivo do choque é erguer uma pluma de fragmentos de 6 mil metros de altitude e confirmar a presença de água no subsolo da Lua. O impacto está marcado para 9 de outubro e será transmitido ao vivo pelo http://www.apolo11.com/ target=_blankApolo11.

Apolo11 |

Clique para ampliar


A cratera escolhida para ser impactada pela sonda lunar é Cabeus A , localizada próxima ao polo sul da Lua e foi eleita pelos cientistas após serem analisadas mais de 30 crateras similares da região polar do satélite. De acordo com os pesquisadores, Cabeus A foi escolhida por apresentar as melhores condições para visibilidade da coluna de fragmentos, alta concentração de hidrogênio e também por ser uma cratera bastante madura, com solo plano, encostas suaves e ausência de grandes pedregulhos.

"A seleção de Cabeus A foi feita após acalorados debates entre os especialistas e incluíram os últimos dados dos observatórios terrestres e também das missões Kaguya, do japão, Chandrayaan-1 da Índia e LRO, da Nasa", disse o cientista Anthony Colaprete, principal investigador do Centro de Pesquisa Ames, da Nasa. "Nossa equipe está ansiosa para o momento do impacto, aguardando a riqueza de informações que missão irá produzir", disse Colaprete.

Clique para ampliar


A missão

A sonda Lcross (Satélite de Sensoriamento e Observação de Cratera) foi lançada em 18 de junho de 2009 em uma missão conjunta com a sonda LRO (Orbitador de Reconhecimento Lunar), a bordo de um foguete do tipo Atlas 5, de dois estágios e 58 metros de altura. Alguns minutos após o lançamento o orbitador LRO se separou automaticamente do Centauro, o estágio superior do Atlas 5 e atingiu a órbita da Lua alguns dias depois.

A sonda Lcross, por sua vez, entrou em uma órbita altamente elíptica em torno da Terra e se mantêm até agora acoplada ao Centauro, devendo permanecer assim até o próximo dia 9 de outubro quando os dois módulos serão separados e se chocarão, um após outro, contra a cratera Cabeus A, no polo sul da Lua. O choque está previsto para as 08h30 da manhã.

O primeiro a se chocar será o estágio superior do Atlas 5, que atingirá a cratera a 9 mil km/h, produzindo energia cinética equivalente a 1 tonelada de TNT. A força do impacto erguerá uma coluna de fragmentos a 6 mil metros de altura, que será analisada pela sonda LCROSS que penetrará na nuvem e também se chocará contra a cratera 4 minutos depois.

A função da sonda LCROSS (Lunar CRater Observation and Sensing Satellite) será exclusivamente de detectar a presença de água nas profundezas da cratera, que devido à posição angular não recebem a luz solar há bilhões de anos e que por isso pode armazenar água congelada em seu interior.

O objetivo do choque é erguer uma grande coluna de fragmentos do interior da cratera e submetê-los pela primeira vez em bilhões de anos à ação dos raios solares. Se neste material houver gelo, o choque irá pulverizá-lo e suas moléculas serão quebradas em hidrogênio (H) e hidróxido (HO) pela ação dos raios ultravioletas do Sol, permitindo que o espectrômetro a bordo da LCROSS detecte a assinatura típica dessas moléculas no comprimento de onda de 308 nanômetros.

De olho na Lua

Além dos instrumentos a bordo da LCROSS, uma verdadeira legião de astrônomos estará acompanhando o impacto aqui da Terra. Para isso já foram reservados os telescópios infravermelho de Keck, no Havaí, Serra Madalena e Serra do Apache, no Novo México e telescópio MMT, de 6.5 metros da Universidade do Arizona. Além dos telescópios terrestres os cientistas também contarão com as imagens do Telescópio Espacial Hubble, que será apontado para a Lua e da sonda lunar LRO, que estará registrando o impacto a menos de 50 km de distância. Todos os instrumentos terrestres estarão apontados para a borda do disco lunar, onde a pluma de ejeção poderá ser vista após o choque.

No Brasil

Devido ao horário e posição da Lua no momento do choque, os brasileiros não poderão observar diretamente o evento, já que o céu estará bastante iluminado pela presença do Sol, além da Lua estar próxima no horizonte. No entanto, todos os momentos serão transmitidos ao vivo pelo Apolochannel, que retransmite a Nasa-TV. Além disso teremos à disposição um chat, onde os internautas poderão acompanhar o impacto e trocar ideias sobre a missão. Não perca: 9 de outubro, sexta-feira, às 08h30 da manhã!

Veja também:

 - Saiba tudo sobre a sonda Lcross e o impacto na Lua


Ilustrações: No topo, gráfico mostra o alvo escolhido para o impacto, onde a concentração de hidrogênio foi a maior entre as crateras escolhidas, vistas na segunda imagem na forma de simulação no momento do impacto. Acima, esquema mostra as consequências do impacto do segundo estágio do Atlas 5 na superfície da Lua, previsto para 9 de outubro de 2009. Créditos: Nasa/Apolo11.com.


Leia mais sobre: Lua

    Leia tudo sobre: astronomialuanasa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG