Justiça obriga UFMG a aceitar candidatos que zeraram no Enem

Ao todo, 3.326 candidatos que ficaram com zero em qualquer etapa do exame seriam eliminados da 2ª fase por edital

iG São Paulo |

A UFMG convoca até a manhã deste sábado, 22, mais 3.326 candidatos para realizar a segunda etapa de seu vestibular, que terá início neste domingo. Eles ganharam o direito de prestar o exame por meio de liminar concedida na manhã desta sexta-feira pela 16ª Vara Federal de Belo Horizonte. Esses candidatos haviam sido eliminados por aparecer no sistema do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como tendo zero em pelo menos uma das provas.

A Justiça entendeu que pode haver erro na nota dos candidatos e é preciso garantir que eles não tenham sido prejudicados. Se for comprovado que a nota estava correta, eles serão desclassificados ao final do processo.

A segunda etapa do Vestibular UFMG, que se estenderá até o dia 28, passa a reunir 22.944 candidatos que disputarão 6.640 vagas em 75 cursos.

Segundo a instituição, os candidatos beneficiados pela liminar serão comunicados por meio do endereço eletrônico informado no ato da inscrição. Os nomes também serão relacionados no site da Comissão Permanente de Vestibular (Copeve), da UFMG. Os candidatos deverão imprimir seu comprovante para comparecer aos locais de prova.

“Por ora, não temos como saber, a partir dos dados que recebemos do Inep, quem faltou a pelo menos um dia de provas do Enem, e realmente estaria desclassificado. E optamos por interpretar a liminar da forma mais abrangente possível, para que ninguém fique de fora”, disse a coordenadora da Copeve, Vera Resende.

A pró-reitora de Graduação, Antônia Vitória Soares Aranha, enfatizou que a inclusão de novos candidatos não implica qualquer alteração para os que já estavam convocados. “Os quase 20 mil candidatos que receberam seus comprovantes permanecem convocados para os mesmos dias horários e locais de prova. Não há motivo para ansiedade”, garantiu Antônia Vitória.

Defesa do Enem
Sobre a posição da UFMG com relação à adesão ao Enem como parte do seu concurso, Antonia Vitória Aranha assegurou que a universidade não cogita rever sua política, e que os problemas que têm ocorrido nos últimos anos não colocam o exame em xeque. "Consideramos que o Enem simplifica e democratiza o processo de seleção. Ele pode, naturalmente ser aprimorado em alguns aspectos, e a UFMG está disposição para contribuir com sua experiência para melhorias no processo", disse a pró-reitora de Graduação.

    Leia tudo sobre: UFMGvestibularsegunda faseenemnota zeroliminar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG