Justiça determina fim de greve de professores na Paraíba

Docentes que estão fora das escolas há um mês na tentativa de receber piso salarial terão 72 horas para voltar ao trabalho

Renata Baptista, iG Pernambuco |

A Justiça da Paraíba decretou, na manhã desta quarta-feira, a ilegalidade da greve dos professores da rede estadual de ensino e determinou a suspensão imediata do movimento. Em greve há cerca de um mês, 15% da categoria teve o ponto de maio cortado pelo governo do Estado pelo não-comparecimento à sala de aula.

A principal reivindicação da categoria é um salário base de acordo com piso nacional aprovado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que equivaleria, no caso de jornada de 30 horas semanais a R$ 890. O salário base no Estado é de R$ 661. O governo oferece gratificações que elevam a remuneração final para quase o dobro, mas os professores querem incorporação destes valores à base. Além disso, pedem um plano de carreira.

De acordo com a determinação do desembargador Romero Marcelo da Fonseca Oliveira, o retorno do movimento grevista ao trabalho deve acontecer em até 72 horas, sob pena de uma multa diária de R$ 20 mil para o órgão sindical, em caso de descumprimento.

Pelo entendimento do desembargador, mais 400 mil alunos estão sendo prejudicados pela greve na questão educacional e também na questão nutricional, uma vez que muitos estudantes não têm tido acesso à merenda.

De acordo com levantamento da Secretaria Estadual de Educação, cerca de 200 escolas das 1.039 da rede estadual estão sem aulas devido à greve de professores. Os municípios mais afetados são João Pessoa e Campina Grande.

    Leia tudo sobre: greveparaíbaprofessorespisofim da greve

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG