Geisy foi expulsa da Uniban dias após ter sido xingada e ameaçada por colegas ao frequentar a universidade vestindo um minivestido

A Justiça Federal concedeu prazo de dez dias para o Ministério Público Federal (MPF) regularizar o pedido de reabertura do procedimento administrativo para investigar a expulsão da aluna Geisy Arruda da Universidade Bandeirante de São Paulo (Uniban). 

O MPF terá de entregar na Justiça uma cópia do procedimento que foi arquivado pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) depois da universidade ter revogado as sanções contra os alunos, entre eles Geisy. Segundo nota divulgada pela Justiça, o MPF terá ainda que decidir sobre a punição dos demais alunos envolvidos no caso. 

Geisy foi expulsa dias após ter sido xingada de prostituta e ameaçada de estupro por colegas ao frequentar a universidade vestindo um minivestido rosa. A aluna foi hostilizada no dia 22 de outubro do ano passado dentro do campus da universidade em São Bernardo do Campo, no ABC.

Na mesma ação, o juiz Anderson Fernandes Vieira, substituto da 20ª Vara Federal Cível, negou os pedidos do MPF para que a Uniban fosse obrigada a instaurar sindicâncias nos futuros casos de sanções a seus alunos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.