A Nasa, agência espacial norte-americana, anunciou uma nova missão com o objetivo de estudar profundamente outro planeta do Sistema Solar. Desta vez, o destino é o maior deles: Júpiter.

Acordo Ortográfico

Na mitologia romana Juno era a mulher de Júpiter e filha de Saturno. A missão é a segunda do Programa Novas Fronteiras, que em janeiro de 2006 lançou a sonda New Horizons com destino a Plutão, com chegada prevista para 2015.

O lançamento da Juno está agendado para agosto de 2011, a partir do Cabo Canaveral, na Flórida. A sonda deverá alcançar seu destino em 2016. A meta é que ela realize 32 órbitas em torno do maior planeta do Sistema Solar, a cerca de 4,8 mil quilômetros acima da camada de nuvens mais alta, por um ano.

A espaçonave funcionará com energia solar, apesar da grande distância do Sol. Júpiter está a mais de 644 milhões de quilômetros do Sol. Por conta disso, a Juno terá que ser extremamente eficiente do ponto de vista do consumo de energia, disse Scott Bolton, principal pesquisador da missão no Instituto de Pesquisa Southwest, em San Antonio.

A missão também será a primeira na qual a nave será posicionada em uma órbita polar elíptica ao redor do planeta, de modo a ajudar os cientistas a entender melhor a sua formação, evolução e estrutura.

Por baixo de sua densa cobertura gasosa, Júpiter guarda segredos dos processos e das condições fundamentais que governaram os primórdios do Sistema Solar. Processos e condições que os responsáveis pela missão esperam poder desvendar com a ajuda da sonda.

Júpiter é o arquétipo dos planetas gigantes em nosso Sistema Solar e se formou muito cedo, capturando grande parte do material que sobrou após a formação do Sol. Diferentemente da Terra, a gigantesca massa de Júpiter permitiu que o planeta mantivesse sua composição original, o que nos oferece uma excelente maneira de traçar a história do Sistema Solar, disse Bolton.

A Juno levará câmeras e novos instrumentos científicos para ajudar a revelar o que está escondido por dentro das nuvens coloridas do planeta. Os instrumentos ajudarão os astrônomos a investigar a possível existência de água, além de explorar a campo magnético do planeta e a constituição química de sua atmosfera.

Mais informações no site da Nasa

Veja também:

Leia mais sobre: Júpiter

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.