Itamaraty terá cota para negros em 1ª fase de curso de diplomatas

Número dos que passarão para a segunda vai subir de 300 para 330 sendo que as 30 vagas a mais são para afrodescendentes

AE |

selo

O Ministério das Relações Exteriores estabeleceu cotas para negros na prova de admissão ao curso de preparação de diplomatas do Instituto Rio Branco. A partir do ano que vem, serão aprovados, na fase inicial da prova, 10% a mais de candidatos. Essas vagas estão reservadas para afrodescendentes quee alcançem o mínimo necessário de acertos, que é de 40% da prova. A partir da segunda fase a concorrência volta a ser global.

A seleção de candidatos a diplomatas é considerada a mais difícil do serviço público devido ao alto nível de exigência para aprovação e também pelo grande preparo dos candidatos. A prova tem três fases. Na primeira delas, chamada de Teste de Pré-Seleção (TPS), normalmente são selecionados os 300 melhores classificados. A partir de agora, serão incluídos outros 30, exclusivamente negros.

A medida pretende ampliar o acesso de afrodescendentes à carreira diplomática fazendo com que mais candidatos negros passem da pré-seleção. No entanto, a vantagem acaba nessa primeira fase. Depois, as notas dos candidatos são zeradas.

A seleção começa novamente com uma prova eliminatória e classificatória de português, em que é preciso acertar 60% das questões, e segue com as provas de geografia, história, política internacional, direito, economia, inglês e uma segunda língua, em que a média de acertos também precisa alcançar 60%.

    Leia tudo sobre: Itamaratycotasnegros

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG