Instituto dará choque de gestão em ONGs educacionais

Braço filantrópico de grupo de investimento quer atuar de forma estratégica em ONGs que trabalham com educação

Marina Morena Costa, iG São Paulo |

Consultorias financeira, tributária, publicitária e jurídica para melhorar a gestão das organizações não governamentais que atuam na educação básica. Essa é a proposta de atuação do Instituto Carlyle Brasil, lançado nesta quinta-feira (29). O braço filantrópico do grupo de “private equity” pretende aplicar no terceiro setor a metodologia que realiza no mercado financeiro: um choque de gestão estratégico para aumentar o valor da empresa. No caso das ONGs de educação, o objetivo será melhorar e aumentar seu impacto social.

O instituto contratou a Brazil Foundation, que investe em iniciativas da sociedade civil, para elaborar um edital e selecionar até cinco ONGs. Elas receberão recursos financeiros e humanos por um período de três a cinco anos. A expectativa é realizar a seleção nos próximos três meses e iniciar a parceria em 2013. O instituto pretende investir entre US$ 1 milhão e US$ 5 milhões por ano, captados por meio de doações de empresas no Brasil (com dedução fiscal), além de investimentos voluntários dos funcionários do grupo no mundo inteiro.

As ongs parceiras do Instituto terão representantes da Carlyle em seu conselho e serão submetidas a auditorias da Ernst & Young. “Queremos oferecer ajuda especializada e gestão estratégica para o desenvolvimento social”, afirma Juan Carlos Felix, diretor-geral do Carlyle.

Ele destaca que o grupo irá investir em ONGs de médio porte, com grande potencial de impacto e com sede em São Paulo, para que os executivos e profissionais possam acompanha-las de perto e realizar trabalho voluntário no local. “Nosso papel é ajudar pessoas, não temos a pretensão de melhorar a educação no Brasil inteiro”, aponta.

De acordo com Felix, está é a primeira vez que o Grupo Carlyle investe em ONGs de educação replicando o modelo de monitoramento de gestão de empresas. A proposta é que após a parceria com o instituto, as organizações voltem a trabalhar sozinhas e uma nova leva seja ajudada.

O grupo Carlyle é um dos maiores fundos de investimento do mundo, com US$ 147 bilhões de ativos sob gestão. O Carlyle tem participação no controle de quatro empresas brasileiras: CVC, Qualicorp, Ri Happy e Scala/Trifil.

    Leia tudo sobre: ongseducaçãoinvestimento em educação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG