Idade e família são determinantes para fluxo escolar

Pesquisas sobre abandono dos estudos mostram que alunos que chegam ao ensino médio atrasados têm menos chances de concluí-lo

Tatiana Klix, iG São Paulo |

Terminar o ensino médio com 18 anos, ou seja, respeitar o fluxo normal da educação básica não é tarefa fácil no Brasil. Os atrasos já começam no ensino fundamental, fazendo com que apenas 50% dos alunos iniciem a segunda etapa escolar na idade adequada. Desses alunos, somente 47% terminam o terceiro ano sem abandonar, repetir ou atrasar os estudos em pelo menos um ano. A conclusão é revelada por estudo da Fundação Getúlio Vargas apresentado nesta quinta-feira pelo Instituto Unibanco, que promove seminário nesta sexta-feira, em São Paulo, para debater problemas e soluções para o ensino médio no País.

Segundo o pesquisador André Portela Souza, que realizou a pesquisa “Os Determinantes do Fluxo Escolar entre o Ensino Fundamental e o Ensino Médio no Brasil” junto com Vladimir Ponczeck e Bruno Oliva, os outros 53% deixam a escola ou repetem de ano e levam mais tempo para concluir a etapa.

Para estar no grupo de alunos que obtêm aprovação e continuam no ensino médio é importantíssimo não estar atrasado na oitava série. As mulheres com pais com alta escolaridade também têm mais chance de êxito. Já a reprovação, historicamente um fator que causa abandono escolar, não aparece mais nessa condição. Segundo os dados extraídos da Pesquisa Mensal de Emprego, do Instituto de Geografia e Estatísca (IBGE) nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Porto Alegre, entre os aprovados, 97% continuam a estudar, e entre os reprovados, 94% fazem o mesmo.

“Esses alunos que não terminam os estudos, mas continuam matriculados, podem ter frequência ioiô. São aqueles que não levam a escola a sério, mas se matriculam, ganham carteira de estudante, recebem desconto no transporte”, analisa a superintendente do Instituto Unibanco, Wanda Engel.

O mercado de trabalho também não aparece como um motivo para que os jovens deixem os estudos. Entre as hipóteses apresentadas pelos pesquisadores para isso, estão o fato de que muitos alunos estudam e trabalham ao mesmo tempo, e outros enxergam na escolarização uma oportunidade para ganhar mais.

Desempenho no ensino fundamental influencia no médio

Outra pesquisa divulgada na mesma ocasião, que relaciona o abandono escolar no ensino médio e o desempenho obtido no ensino fundamental, mostra que os alunos que menos aproveitaram a etapa inicial têm mais chances de não se matricularem no ensino médio ou, quando se inscrevem, não continuarem estudando.

No levantamento que utiliza as notas de alunos paulistas no Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp), o segundo fator determinante para o ingresso no ensino médio é a idade. Aqueles que estão atrasados se matriculam menos que os que os que estão na fase da vida adequada. Fatores que também influenciam, mas de maneira mais tímida, são o fato de as mães terem ensino superior, possuírem computador em casa e serem meninas e negras.

O pesquisador Amaury Patrick Gremaud, que elaborou o estudo junto com outras cinco pessoas, diz que a cor apareceu no estudo, ainda que de forma menos significativa, porque os negros podem enxergar no estudo uma maneira de se diferenciar. “É um fator que apareceu, mas o determinante para o abandono escolar é mesmo é a idade”, diz.

O seminário “Como Aumentar a Audiência no Ensino Médio?” ocorre nesta sexta, das 8h30 às 1730, no Hotel Caesar Business Faria Lima, em São Paulo.

    Leia tudo sobre: fluxo-escolar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG