Ministro da Educação garantiu que União Brasileira de Estudantes Secundaristas terá lugar na gestão do programa

A União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes) terá participação no controle social e fiscalização do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e também nos conselhos gestores das entidades ligadas ao Sistema S. O compromisso foi firmado entre a Ubes e o ministro Fernando Haddad, durante o Seminário Nacional de Educação, realizado na segunda-feira na sede do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea), em Brasília.

AE
Ministro disse não querer "mais problemas"
“O ensino médio é hoje uma das agendas mais importantes do país. Os estudantes, principais interessados no assunto, devem participar dessas discussões”, defendeu Haddad. No que diz respeito ao Sistema S, Haddad prometeu levar o pleito da Ubes – de participar do conselho gestor das instituições – às entidades que compõem o sistema. “Caso haja resistência, o MEC tem prerrogativa de indicar membros e os estudantes secundaristas serão indicados”, garantiu.

Mantidas com recursos públicos, as entidades que compões o Sistema S (Sesc, Senai, Sesi e Senac) têm características híbridas. O financiamento e o controle das instituições é público, enquanto a gestão e governança é feita por entidades privadas. Como terão grande participação no Pronatec, Haddad defendeu a presença de representantes da Ubes nos conselhos gestores das entidades.

A principal demanda da Ubes é que 10% do Produto Interno Bruto (PIB) do país seja investido em educação. O Plano Nacional de Educação (PNE), que tramita no Congresso, prevê como meta o investimento de 7% do PIB. “Esse pleito soa como música aos meus ouvidos, mas é preciso esclarecer que o PNE deve ser cumprido integralmente e não figurar apenas como uma carta de intenções”, afirmou Haddad, referindo-se a possibilidade real de aumentar o investimento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.