Governo de SP aumenta valor de bolsas para pós de professores

Bolsa de mestrado vai para R$ 1.300 e de doutorado para R$ 1.600 desde que docentes permaneçam dando aulas

iG São Paulo |

No dia seguinte ao anúncio do governo federal de que daria bolsas de mestrado para professores que permanecessem em sala de aula, o governo do Estado de São Paulo anunciou nesta quarta-feira que subirá o valor do benefício que já concede a seus docentes. Até o ano passado, as bolsas eram de R$ 790 para qualquer pós-graduação stricto senso e agora passarão a R$ 1.300 no caso de mestrado e R$ 1.600 no doutorado. O bolsa do governo federal será de R$ 1.200.

Para pleitear a bolsa, os professores devem firmar compromisso de que permanecerão na rede pública após a conclusão dos estudos por tempo equivalente a pós-graduação. Podem solicitar o benefício efetivos que estejam dando aulas na rede estadual e tenham sido admitidos em programas de mestrado e doutorado reconhecidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). É preciso ainda não acumular cargo e estar pelo menos 5 anos distante da aposentadoria no caso do mestrado ou 9 anos no caso do doutorado.

O projeto paulista conta com R$ 4,5 milhões reservados no orçamento de 2011.“Estamos investindo na formação dos nossos professores, oferecendo uma ajuda financeira àqueles que desejam se aperfeiçoar. Com o incentivo, esperamos ampliar o número de docentes com mestrado e doutorado lecionando nas escolas estaduais”, disse o Secretário de Estado da Educação, professor Herman Voorwald.

Outra novidade é a avaliação dos projetos por cada uma das91 diretorias regionais. Antes, a análise era feita por uma única comissão. Segundo a secretaria, a mudança agilizará o processo de concessão das bolsas.

Desde 2004, quando teve início o projeto, 3.477 trabalhos foram inscritos e aprovados, dos quais 2.246 já foram concluídos. As inscrições são abertas nas diretorias de ensino, anualmente, nos meses de junho e julho e de novembro a fevereiro, ou em períodos a serem fixados pela comissão central.

Os professores que já estiverem cursando mestrado ou doutorado também poderão se cadastrar para receber o benefício. Nesse caso, receberão bolsa proporcional ao tempo de curso (sem efeito retroativo), com base no prazo de conclusão estipulado pela Secretaria, que é de até 30 meses para o mestrado e até 54 meses para o doutorado. Um docente que cursa o mestrado há 10 meses, por exemplo, terá direito ao benefício pelo período máximo de 20 meses.

O novo valor das bolsas é maior do que o novo piso nacional de professores, de R$ 1.187 por 40 horas.


    Leia tudo sobre: bolsasmestradodoutoradosphermanvoorwaldprofessor

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG