O governador de São Paulo, José Serra, e o secretário estadual de Educação, Paulo Renato Souza, anunciaram nesta quarta-feira um pacote de obras escolares no valor de R$ 580 milhões para o ano de 2010. O montante é 40% menor do que o total investido em obras no ano passado, R$ 961 milhões.

No pacote de investimentos, o governo prevê a construção de 37 novas escolas em todo o Estado, com capacidade para atender 46.410 alunos. Também estão previstas 1.813 obras, como a cobertura de quadras, aumento de salas de aula e reformas.

Todas as obras novas preveem a acessibilidade. Muitas inclusive são para garantir a acessibilidade nas escolas, destacou Souza, em evento no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, para funcionários da Secretaria de Educação, diretores, coordenadores e professores da rede estadual de ensino.

Durante o discurso de Serra, houve uma queda na energia elétrica do Palácio e o governador prosseguiu sem luz e sem microfone. Serra destacou a política de bônus de diretores e professores e o reajuste dos salários. Neste começo de quarto ano de governo, uma das áreas que eu pessoalmente me sinto mais gratificado é a área do ensino, disse o governador.

Obras e crise

Em fevereiro de 2009, o governo anunciou investimentos em construção e reforma de escolas como parte do programa de combate à crise econômica e geração de empregos. A meta era investir R$ 807 milhões em obras, porém o governo ultrapassou o valor e fechou o ano com R$ 961 milhões investidos.

Demos nossa contribuição para o enfrentamento da crise e a geração de empregos oferecendo mais acesso às nossas crianças, declarou o secretário de Educação.

Apesar do orçamento menor, este ano o Estado pretende construir mais escolas novas. A previsão é inaugurar 37 novas unidades, enquanto no ano passado foram construídas 25 unidades. As obras de ampliação irão diminuir de 43, em 2009, para 22, em 2010.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.