Governador promete ajuda contra fechamento de curso da USP Leste

Alckmin se reuniu com alunas de obstetrícia que foram a evento pedir apoio contra fim da carreira e corte de vagas

Cinthia Rodrigues, iG São Paulo |

Um grupo de alunas de obstetrícia da Universidade de São Paulo (USP) que protestam contra o possível fechamento do curso foi recebido na manhã desta quarta-feira pelo governador Geraldo Alckmin. Elas aproveitaram um evento com a presença do político na zona leste, onde fica o campus em que estudam, para chamar atenção do governante e acabaram atendidas pessoalmente.

Gerson Nilton de Souza Vieira/Polícia Militar de SP
Estudantes do obstetrícia foram atendidas pelo governador Geraldo Alckmin que disse apoiar a causa

Na semana passada foi divulgado um relatório que sugere o fechamento de 330 das 1.020 vagas da USP Leste e a fusão de obstetrícia com enfermagem encerrando a carreira. Desde então, as estudantes fizeram protestos na unidade, em frente a reitoria da instituição e, nesta quarta-feira, na porta de uma unidade da polícia militar visitada por Alckmin para anúncio de mudanças no sistema de boletins de ocorrência .

Logo que o governador chegou, a assessoria procurou uma representante do grupo e avisou que ele as atenderia ao final do evento. Nove alunas se reuniram com Alckmin e explicaram que o curso estava ameaçado. “Ele disse que é simpático a nossa causa e entende a importância da carreira para o parto humanizado”, contou a aluna, Mariana Gervásio. “Ele ficou bastante sério, pediu contatos da coordenadora e prometeu ajudar”, diz a colega Thaís Peloggia.

AE
Protesto em frente a em frente evento da Polícia Militar
Segundo elas, assim que começou a ouvir as reclamações, Alckmin pediu a um dos assessores que ligasse para o reitor, João Grandino Rodas, mas o celular estava desligado. Ele prometeu então, avaliar o que poderia fazer. A assessoria do governador confirmou que ele se dispôs a "estudar as reivindicações".

Nesta quinta, o grupo pretende comparecer a uma audiência pública na Assembléia Legislativa que aguarda a presença do reitor para falar sobre questionamentos em relação à universidade. Outra reunião sobre o curso de obstetrícia foi marcada para a próxima segunda-feira com o Conselho Regional de Enfermagem (Coren), órgão que emite a certificação das obstetrizes formadas. Embora a regional já tenha dado algumas carteirinhas, o Conselho de Enfermagem Nacional (Cofen) emitiu parecer contra a prática.

A sugestão de cortes

O relatório que gerou os protestos foi feito pelo ex-reitor da USP Leste Adolpho Melfi e um grupo de professores tanto da unidade quanto de outros departamentos. O documento revisa os cursos da USP Leste conforme a demanda e sugere o fechamento de pelo menos 10 vagas em cada um dos cursos para aumentar a concorrência no vestibular. No caso de obstetrícia a sugestão é a fusão com o curso de enfermagem, que fica em Pinheiros.

    Leia tudo sobre: governadorobstetríciaalckminalunasuspprotesto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG