Fuvest: questão 4 História

E [os índios] são tão cruéis e bestiais que assim matam aos que nunca lhes fizeram mal, clérigos, frades, mulheres... Esses gentios a nenhuma coisa adoram, nem conhecem a Deus. Padre Manuel da Nóbrega, em carta de 1556. (...) Não vejo nada de bárbaro ou selvagem no que dizem daqueles povos; e na verdade, cada qual considera bárbaro o que não se pratica em sua terra. (...) Esses povos não me parecem, pois, merecer o qualitativo de selvagens somente por não terem sido se não muito pouco modificados pela ingerência do espírito humano e não haverem quase nada perdido de sua simplicidade. Michel de Montaigne. Ensaios, 1588. a) Compare as concepções dos dois autores sobre as populações nativas do Brasil. b) Indique a concepção que prevaleceu e quais as conseqüências para a população indígena.

Redação |

RESPOSTA

a) A visão do jesuíta Manoel da Nóbrega enseja um valor etnocentrista e, consequentemente, a ideia da inferioridade dos índios, tidos como bárbaros. Montaigne, entretanto, a partir de uma visão mais humanista e cosmopolita, reconhece a diversidade cultural existente entre os índios brasileiros e os europeus, negando o etnocentrismo europeu.

b) Prevaleceu o princípio do etnocentrismo cuja consequência foi relegar o índio a uma condição inferior, sujeito a todo tipo de arbitrariedade, como foi o caso da violência, escravidão e o próprio extermínio.

    Leia tudo sobre: fuvesthistóriasegunda fasevestibular

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG