Fuvest aprova normas para isenção e redução da taxa

Benefícios serão oferecidos para até 65 mil candidatos de baixa renda. Taxa de inscrição custará R$ 120

iG São Paulo |

O Conselho Curador da Fuvest aprovou as normas para a concessão de isenção ou redução do valor da taxa de inscrição do vestibular 2012, que seleciona estudantes para a Universidade de São Paulo (USP) e para a Faculdade de Medicina da Santa Casa. O prazo para solicitar o benefício irá do dia 13 de junho ao dia 5 de agosto deste ano.

Assim como nos últimos anos, a Fuvest irá oferecer isenção ou redução da taxa para até 65 mil candidatos, que comprovem baixa renda e que tenham cursado todo o ensino médio em escolas públicas brasileiras. Para obter isenção da taxa, o candidato deverá ter renda individual de até R$ 708 ou ser integrante de família cuja renda máxima seja igual ou inferior a este valor por indivíduo.

Se o rendimento estiver na faixa de R$ 708,01 até o máximo de R$ 1.362,00, o estudante terá direito a 50% de redução da taxa. Os candidatos que se enquadrarem no que dispõe a Lei Estadual 12.782, com renda individual de, no máximo, R$ 1.092,00 poderão solicitar redução da taxa para 50% do seu valor. O valor da taxa de inscrição deste ano é de R$ 120.

Na última sexta-feira, o Conselho Universitário da USP aprovou mudanças que tornam a seleção pela Fuvest mais rigorosa . A nota de corte para aprovação para a segunda fase, que era calculada de forma que houvesse pelo menos três candidatos para cada vaga na reta final, agora será calculada deixando apenas dois por vaga para a segunda fase. O objetivo é impedir que candidatos considerados “ruins” passem nesta peneira inicial.

Pela mesma razão, a nota mínima, exigida para as carreiras em que a concorrência é tão baixa que não se aplica a regra anterior, vai subir de 22 para 27, entre as 90 questões. Estudos mostravam que um candidato que "chutasse" todas as respostas, teria boa chance de acertar as 22.

Na segunda fase, muda o número de questões dissertativas do segundo dia de provas que era considerado longo demais. As 20 perguntas foram reduzidas para 16. Com isso, a Fuvest terá menos provas para corrigir, o que deve diminuir os custos da segunda etapa.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG