Funcionários da UnB entram em greve em apoio a professores

Os funcionários da Universidade de Brasília (UnB) decidiram entrar em greve por tempo indeterminado nesta terça-feira, endossando o movimento dos docentes da instituição, iniciado no último dia 9. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da UnB (Sintfub), cerca de 400 servidores técnico-administrativos votaram por unanimidade pela paralisação geral dos trabalhos.

Marina Morena Costa e Priscilla Borges |

Os docentes também estiveram reunidos em assembleia nesta terça-feira e optaram, também por unanimidade pela continuação e fortalecimento da greve. Segundo Flavio Botelho, presidente da Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (Adunb), cerca de 220 professores estavam na assembleia, que teve o maior quorum do ano.

Divulgação/Sintfub

Funcionários realizam assembleia nesta terça de manhã

A Adunb e o Sintub vão realizar na manhã da próxima sexta-feira (19) uma manifestação em frente ao Ministério do Planejamento. Os grevistas enviaram documentos ao reitor da universidade e ao Conselho Universitário solicitando apoio ao movimento.

Reivindicação

Os docentes e funcionários da UnB querem assegurar o pagamento da Unidade de Referência de Preços (URP), cujo corte foi determinado pelo Ministério do Planejamento no ano passado. De acordo com os trabalhadores, a URP representa cerca de 26,05% dos salários das categorias.

Segundo o ministério, a URP não é uma gratificação, mas um índice econômico criado em 1987 para reajuste de preços e salários. Uma auditoria da Secretaria de Recursos Humanos da pasta apontou irregularidades nessa movimentação financeira, incluindo a extensão do benefício a servidores contratados recentemente.

A UnB alega que o pagamento é garantido por medida judicial e por isso é realizado mediante rubrica específica no Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (Siape). Em nota entregue ao ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, o reitor da UnB, José Geraldo, diz que a decisão do ministério contraria liminar concedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a favor da instituição e gera instabilidade na comunidade acadêmica.

* Com informações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: greveprofessorprofessoresunb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG