Fim do fiador ainda não é realidade na maioria das instituições

Adesão voluntária ao fundo garantidor criado pelo Ministério da Educação precisa ser ampliada. Haddad fará reunião com faculdades

Priscilla Borges, iG Brasília |

As instituições privadas de ensino que participam do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) não aderiram como o Ministério da Educação esperava ao sistema que permite a não-exigência de fiadores dos alunos . Anunciado pelo ministro Fernando Haddad no ano passado, o Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (Fgeduc) só recebeu a adesão de 272 das 1.362 instituições participantes do Fies.

Como a adesão das faculdades é voluntária, Haddad decidiu convocar uma reunião com representantes das instituições privadas para convencê-las a participar do sistema. A exigência de fiador é considerada um dos maiores empecilhos para os universitários que precisam de financiamento para pagar um curso superior. Especialmente na faixa de renda beneficiada pela medida: estudantes com renda mensal familiar de até um salário mínimo e meio. O encontro acontecerá na próxima terça-feira, no ministério.

Para o MEC, as mantenedoras das faculdades precisam de mais informações para aderirem de vez ao processo. E é isso que Haddad pretende dar a eles nessa reunião. A instituição de ensino, para participar, precisa concordar em contribuir com 7% do valor das mensalidades para o fundo. O percentual é composto de uma parcela de recursos que não retornarão à faculdade (5%) e outra que pode vir a ser devolvida (2%), caso a inadimplência nessa instituição seja muito baixa.

Além desses valores, o fundo tem uma contribuição do Tesouro Nacional. Se os recursos arrecadados entre as instituições participantes não forem suficientes para manterem os pagamentos atrasados em dia, a União repassará verbas para o fundo. Para o ministro, as medidas são partes essenciais da reforma feita no Fies nos últimos quatro anos para garantir a ampliação do atendimento do programa.

Haddad havia anunciado a proposta de criar esse fundo em abril do ano passado, durante entrevista exclusiva concedida ao iG . As novas regras foram anunciadas em outubro de 2010.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG