Ex-reitor da UnB é acusado de participar de desvio

Ação protocolada em julho acusa Timothy Mulholland de desviar R$ 2,1 milhão da instituição

AE |

selo

Procuradores da República no Distrito Federal (DF) acusam o ex-reitor da Universidade de Brasília (UnB) Timothy Mulholland de envolvimento em um esquema de desvio de R$ 2,1 milhões da instituição. Numa ação protocolada em julho na Justiça Federal de Brasília, os integrantes do Ministério Público Federal (MPF) afirmam que o ex-reitor e outras dez pessoas praticaram ato de improbidade administrativa.

Os procuradores pedem que o grupo seja condenado ao ressarcimento dos supostos valores desviados, à perda de eventuais funções públicas, à suspensão de direitos políticos e à proibição de contratação com o poder público. 

De acordo com a acusação, o suposto esquema tinha como comandantes Timothy Mulholland e o ex-diretor da editora da UnB Alexandre Limao. Num primeiro momento, contratos e convênios eram firmados sem amparo em lei, segundo os procuradores. Depois, eles eram geridos como projetos cuja execução era subcontratada total ou parcialmente por fundações privadas de apoio.

Segundo os procuradores, isso permitia a transferência do controle da gestão para uma estrutura paralela, coordenada por Alexandre Lima, que movimentava os recursos de acordo com interesses do então reitor da universidade.

Conforme o MPF, a prática foi descoberta em 2008, ano em que foi revelada uma suntuosa reforma feita no apartamento no qual Timothy Mulholland residia na época. A editora funcionava como uma espécie de tesouraria das demandas do então reitor, de acordo com os procuradores. Até convites da festa de aniversário de Mullholland teriam sido confeccionados com essa verba.

O ex-reitor foi procurado pela reportagem mas não foi encontrado.

    Leia tudo sobre: ex-reitor da UnBTimothy Mulholland

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG